sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

A Pedra Fundamental

Esse será um post de referência que servirá como fundação para diversos outros posts no futuro. É uma simples coletânea de opiniões que possuo sobre a vida em geral e são apenas indiretamente relacionadas com finanças. Pode parecer meio desconexo ou filosofal, mas confiem em mim: é uma base necessária.

O livro é ótimo, o filme é um lixo.


Início:


- Por absoluta falta de evidência, não acredito em nenhum tipo de Deus. Para todos os efeitos, a inexistência de qualquer divindade é um fato para mim.

- A vida, portanto, é o maior bem que possuo. Sem vida não há existência nem consciência.

- Como não há nenhuma evidência de uma vida após a morte, e como nossa tecnologia ainda é bastante limitada, vejo a morte como inevitável para todos os seres humanos.

- A vida de todos os seres humanos, portanto, é uma caminhada em direção à morte. Isso também é um fato.


Ação:


- Diante disso, tudo o que temos é a nossa vida. É IMPERATIVO APROVEITÁ-LA AO MÁXIMO dada a finitude do ser.

- Como aproveitar a vida ao máximo? Aqui precisamos saber exatamente o que é aproveitar, que definirei como a obtenção de valor, prazer ou sentido à vida. Ser feliz, obter sucesso pessoal.

- É possível obter alegria e sentido em uma vida fadada à morte, pois o objetivo está no meio e não no fim.

- A felicidade, portanto, na maior parte das vezes é um "continúo" e não um objetivo final. 

- Cada um deve ter um momento introspectivo para saber em que áreas extrai valor, prazer ou sentido à sua vida. ESSE É O PRIMEIRO PASSO.

- Os seres humanos são bastante diferentes entre si, sendo que o prazer de um será o sofrimento do outro.

- A diferença entre cada um torna extremamente importante NÃO seguirmos aquilo que a sociedade espera de você em caso de divergência das suas vontades. Essa é uma armadilha com muitas vítimas.

- É preciso, portanto, respeitar a sua própria identidade. É preciso não se submeter à coação alheia que vai contra a sua identidade, a não ser que a recusa de ser coagido seja ainda mais contrária ao seu ser.

- Logo, o primeiro passo para aproveitar ao máximo a vida é saber exatamente quem você é e o que você quer. Que atividades te dão prazer? Que atividades dão sentido ao seu ser?

- Existem atividades que podem ser dolorosas/chatas mas que objetivam um bem maior futuro, como ir à academia todos os dias com o objetivo de se ter um corpo que te satisfaça, ou trabalhar para ganhar dinheiro.

- Para aproveitarmos a vida, penso que precisamos de: Tempo, Dinheiro, Saúde e Paz.

- Precisamos de tempo pois sem ele é irrelevante a quantidade de dinheiro, saúde ou paz que temos, já que não teremos oportunidade de utilizar esses atributos para extrair o valor da vida. Um exemplo clássico disso é um workaholic que odeia o trabalho e ainda assim trabalha 18h por dia décadas a fio. Uma vida desperdiçada. O que você está fazendo para obter mais tempo?

- Precisamos de dinheiro por conta tanto da própria condição humana (necessidade de abrigo, comida, sexo) quanto para conseguirmos as ferramentas para extrair valor. Exemplo disso é que nada adianta eu ter tempo, saúde e paz se passo fome ou não tenho onde morar ou não tenho dinheiro para comprar um livro caso goste de ler. O que você está fazendo para obter mais dinheiro?

- Precisamos de Saúde pois em caso de uma saúde deficiente é fisicamente limitada a capacidade de extrair valor daquilo que queremos. Pouco adianta eu ser milionário e aposentado se preciso fazer hemodiálise diversas vezes na semana, perder a visão por conta de um diabetes ou morrer aos 45 anos obeso de um ataque cardíaco. Sua vida é saudável?

- Paz. A paz de "espírito" é algo de difícil definição, mas é fácil perceber quando não a temos. É óbvio perceber que não conseguimos aproveitar bem a vida se estamos em conflito constante com uma namorada, com a família ou com si próprio. Imaginem um homem milionário, aposentado e com saúde que odeia a mulher mas não se separa por questões financeiras, gerando traições de ambos os lados, brigas e mentiras. Estreitar relações pessoais positivas e se afastar de relações negativas são mecanismos fundamentais para se obter mais. Você vive em paz?

- Nesse momento, a pessoa precisa mais uma vez parar e analisar mais uma vez a sua própria vida, e traçar uma estratégia para alcançar todos esses elementos para poder praticar aquelas atividades que trazem felicidade para ele. ESSE É O SEGUNDO E DEMORADO PASSO.

- Muitos de vocês devem estar pensando: "Porra VR, quanta conversa de maconheiro pra algo tão simples quanto "Defina o que você quer e vá atrás daquilo!"". A verdade é que acho necessário ser mais "palavroso" pois esses elementos que coloquei acima serão a base para sabermos como devemos agir em toda a nossa vida, e serão conceitos fundamentais pro que vem a seguir. Você sabe exatamente o que quer da vida e qual é a estratégia mais eficaz para obter aquilo que deseja?


terça-feira, 10 de novembro de 2015

A Independência Financeira

Engraçado como pequenas coisas às vezes tem consequências gigantescas pro futuro. Em setembro desse ano, minha vida financeira estava totalmente no piloto automático. Pegava o valor a investir no mês, via qual classe de ativo estava com menor alocação e investia o suado dinheiro lá. Eis que, no dia 9 de setembro, não me lembro mais por qual motivo acessei o blog. Com dezenas de comentários e alguns e-mails aguardando pacientemente minha leniência, eis que um chamou particularmente a minha atenção:

"VR,

parabéns! 
acompanho silenciosamente seu blog desde o início, acho. Me chamou atenção no início que tínhamos objetivos muito parecidos, embora eu seja um pouco mais velho do que vc também mirava a IF aos 42 anos. Se não me falha a memória também tínhamos um valor de aprox R$ 3MM coincidente. Apesar de ter optado por caminhos diferentes seus artigos e racionais me ajudaram muito. Se não para replicar para criticar o que penso/pensava ser o caminho ideal.
Pois bem. Hoje com 40 cheguei nos R$ 3MM almejados e estou reajustando meus objetivos e idade para o grande foda-se. Incrível como até o trabalho melhora quando este já não é mais uma obrigação imprescindível... 
Minha pergunta: Tive uma boa percepção desta crise que se aproximava e estou no momento com praticamente zero exposição em ações e FIIs e com liquidez. Como ainda pretendo me manter na ativa por mais alguns anos não seria um bom momento para um all in em títulos longos (2035 e 2050) atrelados a inflação que agora pagam juros real de 7%aa? Me parece que funciona tanto para carregar e gerar renda quanto para uma possível reverção (sic) de cenário econômico com retomada da queda de juros para níveis civilizados. O que acha?"


Achei que o anônimo tinha se enganado com a taxa do TD, não era possível que a taxa fosse aquela. Quando entrei no site do TD, veio o susto: não só a NTNB2050 estava pagando 7,5% ao ano, o valor do título tinha caído cerca de 10% NO MÊS. Daí os cálculos começaram a se fazer sozinhos na minha mente: "Se o NTNB2050 paga 7,5% a.a. se descontar o IR e a taxa da CBLC de 0,3% dá cerca de 0,5%a.m. Peraí, se eu tenho R$2.4mi a 0,5% dá R$12.000,00 por mês reais líquidos por 35 anos. Eu nem preciso de R$12.000,00 por mês Mas 0,5% a.m. dá uma TSR de 6% a.a. Mas mesmo retirando R$12.000,00 terei o principal corrigido daqui a 35 anos, sem perda do principal. Mas tem o IR sobre a inflação também. Só que eu já terei 65 anos, e terei o principal pra consumir pelos próprios 30 anos. Mas eu nem preciso de R$12.000,00 por mês..."

Daí eu me lembro que tinha escrito alguma coisa sobre estratégia all-in em NTNB. Fui vasculhar o blog e achei meu texto escrito há mais de 6 anos atrás, numa época em que a NTNB pagava IPCA+7,12% (vejam minha inocência com relação à inflação):

"Portanto, se eu tivesse HOJE os 1,5 milhão necessários para me aposentar (meu objetivo são 3 milhões de reais de 2025, que com inflação de 4,29% ao ano equivalem a 1,5 milhão de reais de 2009) investiria 100% em NTNBs com maturação a mais longa possível. Opa, mas peraí... como eu poderia retirar 0,5% ao mês e não apenas 0,33%, o valor necessário cai de 1,5 milhão para 1 milhão! Isso representa uma economia de R$500.000,00 reais de hoje ou R$1.000.000,00 de reais a menos em 2025! Agora entendam por que essa é REALMENTE uma pergunta de um milhão de reais!"

Daí fiquei dias pensando sobre a idéia, os riscos e os benefícios de adotar essa estratégia. Cheguei às seguintes conclusões:

Riscos:

  1. Obviamente, de longe o principal risco é o soberano, ou risco de calote. O governo é deficitário e possui uma relação dívida/PIB de cerca de 70%, bem como a incapacidade atual de fazer superávit primário. O risco é real, apesar dos seguintes fatores: A - O Tesouro Direto atualmente corresponde a 0,7% da dívida pública federal e possui centenas de milhares de investidores. B - Em caso de impressão de moeda, apesar de ser ruim para mim a NTNB é de longe o "menos pior" título a se possuir. Ter ações ou FIIs seria provavelmente pior. C - Em caso de calote, imagino que o governo vá preferir atingir os credores externos. D - Em caso de calote, dificilmente haveria o calote integral do valor investido. E - Em caso de calote, o cenário financeiro brasileiro estaria tão desastroso que apenas investimento em dólar, ouro ou bitcoin se salvaria de uma queda expressiva.
  2. Risco de inflação. Em um cenário hiperinflacionário o rendimento iria basicamente a 0%, mas ainda assim seria o melhor investimento a se possuir já que ações e FIIs certamente teriam rendimentos inferiores pela lentidão dos repasses, particularmente os FIIs com reajustes anuais.
  3. Risco de reinvestimento. Basicamente a NTNB2050 é o título com menor risco de reinvestimento, pois terei mais de 65 anos quando os títulos vencerem. O reinvestimento dos cupons não preocupam já que a idéia é gastar a maior parte dos cupons, daí a preferência da NTNB2050 ao invés da NTNB Principal 2035 (maior risco de reinvestimento e exposição à marcação a mercado quando retirasse o valor necessário).
  4. Concentração. Querendo ou não investir 100% em um único ativo soa mal, ainda mais a diversificação sendo um dos pouquíssimos "almoco grátis" disponíveis. 


Benefícios:

  1. Baixíssimo risco em geral. Qualquer livro de finanças mostra que por definição o ativo com menor risco é o título de renda fixa emitido pelo governo. Empresas podem quebrar, imóveis podem ruir/incendiar, pouco pode acontecer com um título do governo fora o calote e, como já disse acima, em caso de calote basicamente o país terá ido pro saco pois os fundos de renda fixa darão calote, as previdências públicas e privadas darão calote, os bancos quebrarão e com ele boa parte das empresas, inadimplência de aluguéis irá pro céu e preços dos aluguéis cairão vertiginosamente por conta do efeito cascate, enfim um cenário "corram para as colinas" em que num nível mais grave somente o bitcoin sobreviverá.
  2. Alta rentabilidade. Retornos brutos de IPCA+7,X% a.a. são um sonho de consumo para qualquer investidor. O IFIX teve um retorno real bruto de 0% nos últimos 5 anos, O IBOV teve um retorno real bruto de praticamente 0% nos últimos 15 anos. O S&P500 que é uma das bolsas de maior sucesso de todo o planeta teve um retorno real fora custos e impostos de 6,5%a.a. desde 1900.
  3. Despreocupação com reinvestimento. Pelo fato do título maturar apenas em 35 anos, não preciso me preocupar com mudanças nas taxas de juros do período. Selic subiu pra 20%? Os 7,X% reais me satisfazem. Selic caiu pra 7%? Continuo recebendo o mesmo valor de cupom.
  4. Por ser um título de renda fixa, não tenho que me preocupar com vacâncias, preço de aluguel, balanços, prejuízos, emissão de ações, bonificação de ações, chamadas de capital...
  5. Manutenção de portfólio 0. Em decorrência do ponto 4, não tenho balanços a ler, declarações de imposto de renda pra me esquentar, reinvestimentos de cada aluguel/dividendo recebido, nem relatórios de FIIs a analisar. Mais tempo para curtir a vida.
  6. Paz. Esse ponto pra mim é fundamental. Estava me estressando MUITO com as supostas empresas "boas" que caem o LL em 30% em um trimestre e os FIIs "bons" que pegam fogo/aumentam inadimplência/passam anos sem corrigir o aluguel. A idéia de mudar meu portfólio de ações ajudou, mas ficou longe de resolver o problema.
Depois de muito pensar a respeito, resolvi agir. Comecei vendendo aos poucos, meio que querendo respeitar o limite de R$20.000,00 por mês. Aí percebi que nesse ritmo demoraria quase 7 anos pra vender tudo. Meu emocional ficou em frangalhos, vender ações e FIIs que possuía há vários anos foi algo muito difícil pra mim, um sentimento de derrota, de falha, de que errei. No entanto, comprar os títulos com taxas tão atrativas aliviou um pouco a situação.

Semana passada eu concluí a mudança e vendi todas as ações e FIIs que possuía, investindo cerca de R$1.600.000,00 em NTNB2050 (pela queda nas taxas hoje já é ~R$1.720.000,00), que me fornecerão uma renda passiva líquida e real de R$7.600,00 até 2050. Além disso, ainda possuo cerca de R$850.000,00 em CDBs, LCs e LCIs rendendo líquido entre 13 e 18% a.a. com vencimento entre 2016 e 2020. Com o vencimento desses títulos pretendo reinvestí-los também nas NTNBs. Se estivesse tudo em NTNBs hoje teria uma renda de R$11.300,00 aproximadamente. Além disso ainda possuo alguns bitcoins, um dinheiro reservado para os gastos na mudança e outro em empréstimos para conhecidos, que totalizam cerca de R$140.000,00.

Acontece que hoje minhas despesas são de R$1.500,00-R$2.000,00 por mês, mas quando me mudar para o meu canto (o que acontecerá ano que vem) pelas minhas estimativas esse valor subirá para R$6.000,00 por mês, vivendo bem no mesmo padrão que vivo hoje. É fácil ter um padrão de vida alto com valores modestos quando não se tem aluguel, financiamento de imóvel, mensalidade de filho, financiamento de carro ou pensão para pagar. Mesmo se eu quiser ter uma vida de rei (gasto maior com supermercado comprando frescuras, plano top de celular, sair 4x na semana, 2-3 viagens internacionais por ano, maior gasto com supérfluos diversos) esse valor não passa de R$8.000,00 por mês. Estou me lixando pra carros de luxo trocados a cada dois anos, imóveis gigantescos e uma vida de ostentação (low profile 4 life), eu quero é tempo, saúde e paz. Ainda assim, é um padrão de vida comparável a alguém que ganha uns R$20.000,00 por mês brutos mas precisa pagar IR/previdência e tem parcela de apartamento e/ou filhos.

Não posso deixar de pensar, portanto, que hoje eu estou praticamente ou totalmente financeiramente independente, já que os rendimentos reais (descontada a inflação) superam com uma boa folga meus gastos mensais. Retirando R$6.000,00 minha TSR é de 2,8% e retirando R$8.000,00 é de 3,7%, isso investindo em ativos que rendem líquido e sem risco 5,5%a.a. Estou aguardando me mudar pra ver na prática como serão os gastos, mas como já tive experiência de morar longe dos pais creio que não será nada muito diferente do que planejei.

Isso não significa que não irei investir mais em FIIs ou ações, mas no curto prazo realmente devo concentrar nas NTNBs, salvo alguma quebra abrupta da taxa, o que considero altamente improvável de acontecer.

Meu olhar, pra variar, volta-se agora para o futuro. O lugar onde trabalho foi atingido em cheio pelo crise, mas ainda se consegue lucrar. No entanto, não tenho planos imediatos de parar de trabalhar, até porque é tudo muito recente. A sensação é de dever cumprido, de que meu aspecto financeiro está basicamente resolvido e que eu posso finalmente aproveitar a vida de forma mais relaxada e despreocupada. Cuidar melhor do corpo (alguém lembra do viver de saúde?), aprender coisas novas, tirar umas férias das finanças.

Eu sempre fico muito feliz quando recebo um comentário ou e-mail de algum leitor dizendo que o meu blog o ajudou de alguma forma. Hoje sou eu quem agradeço por ter cada um de vocês nesses mais de 6 anos de investimento. Vocês não só me estimularam como me ajudaram a definir minha forma de investir.

A todos vocês, muito obrigado.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Finalizando a Mudança de Estratégia em Ações

Esse mês eu praticamente concluí minha mudança no portfólio de ações. São 19 empresas com características bem diferentes, mas que a meu ver possuem uma relação risco/retorno adequada. Como resultado dessa mudança, sinto-me bem mais tranquilo ao investir em ações, coisa que tenho feito de forma praticamente automática. Não me agonio com a empresa que tenho maior participação (CGRA4) ter caído 33% esse ano, pois ao mesmo tempo tive gratas surpresas como PSSA3 e CLSC4. Diversificação é exatamente isso, diminui-se o desvio-padrão da média dos retornos evitando assim grandes catástrofes ou milagres. 

Reflexo disso é que tenho pensado muito pouco sobre finanças ultimamente. Sempre que sobra dinheiro, vejo na minha tabela o que está com menor peso e compro (foi assim que comprei R$20.000 de FLMA em abril a R$1,65 e R$9.000,00 de PSSA3 a R$29,75 em março). Com isso, ganhei a paz e tranquilidade que mencionei no post anterior para devotar meu bem mais precioso de todos que é meu tempo em tarefas mais relevantes para mim como jogar futebol, cuidar da saúde, namorar, viajar (chega de viagem por esses tempos), jogar etc. Para mim a vida de sucesso é isso, estar ao lado de pessoas que você ama fazendo coisas que você gosta em um ambiente de paz e tranquilidade, ligando o foda-se do que pensam de você.

Financeiramente falando, estou hoje com cerca de R$2.400.000,00, com o objetivo de chegar aos R$2.500.000,00 ao final de 2015 e R$3.000.000,00 ao final de 2016. Com R$10.000,00 de renda passiva eu vivo muito bem, com uma sobra significativa até. Aliás, com os R$8.000,00 que tenho atualmente de renda passiva vivo igualmente bem, só a sobra que diminui. Meu retorno no 1o semestre de 2015 foi de -0,9% nas ações, +9,5% nos FIIs e 6,5% na renda fixa, sendo o retorno global do portfólio 5%. Nesse período eu recebi R$48.400,00 em aluguéis de FIIs, R$22.100,00 em dividendos/jscp e R$500,00 em aluguéis de ações, sendo a média mensal de proventos recebidos do período R$11.833,00.

Terei eu alcançado a independência financeira?

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Mudança de Estratégia em Ações

Creio que paz e tranquilidade são componentes fundamentais para se ter uma vida feliz. Hoje em dia chego à conclusão que felicidade nada mais é do que você ter liberdade para fazer o que gosta, e pra ter liberdade você tem que ter paz, saúde, tempo e quase sempre dinheiro.

Hoje meu patrimônio está acima dos R$2.000.000,00, fruto principalmente do meu trabalho mas em menor grau do retorno do próprio portfólio (média desde 2010 de 0.55% a.m. líquido), de forma que não há mais necessidade de eu correr grandes riscos e, pior, ficar me estressando na expectativa das ações "value" terem o turnaround que quase nunca vem. 

Dessa forma, estou mudando meu portfólio de ações e adquirindo empresas sólidas com lucros consistentes, ainda que não exatamente baratas. Se a empresa está piorando, deixo de comprar. Se ficou ruim, vendo e engulo o prejuízo. Não tenho mais paciência para aguardar a empresa melhorar e buscar a próxima HGTX ou LAME. A teoria diz que meu retorno será um pouco menor (ações "growth" possuem retorno menor que "value" no longo prazo), mas prefiro ter paz investindo em ITSA4 (blend) ou CIEL3 (growth) que esperar ganhar na loteria com uma FJTA4 ou GOLL4 (value). Quero empresas que deem lucro e que tenha perspectiva real de aumentar esse lucro com o tempo, ao invés de esperar trocar diretor/abrir fábrica/Netuno se alinhar com Júpiter.

A cada dia mais valorizo meu tempo e portanto estou com menos paciência para perder horas olhando cotações de ações que não ligam para seus acionistas minoritários e não se preocupam em lucrar mas sim em ter receitas (dando lucro assim para seus diretores/administradores). Olho o balanço 1 vez por ano e me dou por satisfeito.

Esse post não deixa de ser uma "mea culpa" das minhas idéias de 2010 em que comprava lixos como SGPS3 e BEEF3 baseado exclusivamente no P/VPA com base em estudos feitos nos EUA e resto do mundo, em que desconsiderei o aspecto psicológico de comprar empresas que passam anos a fio sem dar R$1,00 de lucro.

PS: O retardado aqui esqueceu de aprovar os comentários postados DESDE FEVEREIRO DE 2014. Minhas sinceras desculpas, serei bem mais cuidadoso com relação a isso! Fico feliz de ter aprovado + de 95% dos comentários postados, a qualidade melhorou bastante, felizmente!

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Pergunta dos Leitores - Parte V

EDIT: Pessoal, para manter a qualidade do blog resolvi moderar todos os comentários antes deles serem publicados, tentarei ser o mais ágil possível na publicação dos mesmos, sempre procurando manter o bom ambiente que hoje temos aqui. VR.


"VR,Vc por acaso trabalha no mercado financeiro? Se sim considera o mercado promissor?"

Não trabalho no mercado financeiro, mas o considero muito promissor. O mercado financeiro oferece um dos maiores salários em qualquer lugar do mundo.

"VR,
Estou querendo investir inicialmente 10 mil,porém tenho algumas dúvidas de iniciante.
1)Você coloca alguma ordem de venda quando um ativo atinge um percentual de crescimento ou desvalorização? Se sim,acha que 20% é um percentual razoável?
2)Na compra de títulos públicos pré-fixados vc recomenda resgatar só no vencimento ou é necessário observar as taxas diariamente pra saber se compensa vender antes do prazo?
3)Se não estou enganado, na compra de LCIs o "aluguel" é contabilizado diretamente na conta, livre de IR. Assim, esse "aluguel" mensal vc sempre reinveste ou retira um percentual dele para gastos pessoais, por exemplo?

Obg!"

1- Eu não vejo vantagem em ordem stop. Para você obter o retorno de um ativo você precisa estar exposto nele, e o fato dele ter caído 10, 20 ou 50% não tem qualquer correlação com relação aos movimentos futuros dele, portanto o stop serve apenas gerar corretagem e diminuir sua exposição ao mercado.

2- Da mesma forma que não dá para prever os movimentos das ações, prever a renda fixa é ainda mais difícil, portanto recomendo fortemente você resgatar apenas no vencimento, salvo por necessidade.

3- Todas as LCIs que tenho funcionam como um CDB, pagando o "aluguel" (que na verdade é juro) apenas no vencimento do título.

"Olhando sua matéria sobre TSR, percebi que faltou um risco quanto citou as NTB's. Que seria o caso de uma inflação muito alta, onde O IR incidente sobre o rendimento (inflação + taxa) comeria grande parte do dinheiro."

As NTN-Bs sempre proporcionam um retorno acima da inflação, mesmo em um cenário hiperinflacionário. Na verdade o melhor título para se investir em todo o mercado em um cenário de inflação muito alta é justamente o NTN-B.

"Posso assumir que a tributação dos ETFs e a consequente bi-tributação dos dividendos invalidaria a aplicação da estratégia passiva de Bogle no Brasil?"

Não invalida, mas certamente é prejudicial, razão pela qual eu não recomendo ninguém que possua um portfólio a partir de de R$100.000,00-R$200.000,00 em ações investir em ETFs, salvo razões de comodidade.

"tenho 830mil e 40% em fiis.
quero alocar tudo em fiis.
o que acha?
penso que gera renda real e sao ativos reais.
a crise pode abrir portas fantasticas.
loucura?
mt perigoso?
talvez apenas 70% em fiis?
o tesouro ta pagando melhor, mas nao sei o que fazer."


Diversificação é talvez o único almoço grátis que exista no mercado, um cenário de bolha imobiliária com queda de 50% nos aluguéis seria catastrófico para um portfólio 100% em FIIs. FII hoje tem uma expectativa de retorno bem maior que o TD, obviamente correndo um risco também maior. Recomendo você investir em ações, FIIs e renda fixa. É o que eu faço.

"Bom dia Sr Viver de Renda, tudo bem?
 Meu nome é XXXXXX e eu gostaria de dizer que seu blog esta sendo muito util pra mim, na verdade não como eu esperava.. basta dizer que o que mais me chamou a atenção foi aquilo que vc disse sobre o passado das mulheres: mulher é igual cozinha de restaurante, quem conhece não come... rsss estou nessa situação exatamente agora, mas já fiz as duas coisas, já comi, tenho filho de 7 meses e investiguei o passado e descobri o que todos já sabiam, bem resumindo para qualquer lado que meus pensamentos tomem sobre mim chego a mesma conclusão: EU SOU O MAIOR IDIOTA BONZINHO DE TODOS OS TEMPOS.. mas estou te enviando esse email pra dizer que acho você realmente inteligente, gostaria de perguntar qual corretora de valores vc usa e qual indica pra mim? Eu sinceramente nunca tive tanta certeza que joguei minha vida no lixo exceto pelo meu filho (XXXXXX) li no seu blog hoje que 1000 reais investidos chegarão aos  ~900 mil depois de muitos anos... esse é meu objetivo, apenas 100 mil já muda a direção da vida do meu filho, moro no interior de SP e meu salario é realmente ruim (1400), vou perguntar novamente, qual corretora me indica?? já verifiquei que as taxas estão muito altas..  
Bom dia"

Eu infelizmente estou meio por fora com relação aos custos da corretora, eu utilizo a mycap em que pago R$10,00 por mês mais R$5,00 por trade realizado, o que me gera um custo anual de +- R$240,00, que é +-0,02% do meu portfólio de ações e FIIs, portanto acho um custo bem competitivo. Tente manter os custos os mais baixos possíveis, de preferência abaixo de 0,5% a.a. Boa sorte na sua vida!

"Caro Viver de Renda,



Estou começando a montar minha carteira e não sei se invisto em ações diretamente ou em fundos de índice. Numa resposta no seu blog, você disse que preferiu acumular uma grana maior antes de ir diretamente para as ações. Mas, considerando que você investia no fracionário, e que deve ter investido um capital inicial maior do que o valor dos aportes mensais, não dava pra ter montado uma carteira razoavelmente diversificada desde o começo? Você não faria isso se estivesse começando hoje? O que aconselharia neste ponto para quem tem um capital inicial de uns R$ 30.000,00 e pode fazer aportes de R$ 2.000?

Seria aconselhável um meio termo (50% ações e 50% fundos de índice)? 

OBS: não estou falando meio termo da carteira toda, que não vou investir 100% em RV, mas daquela parte da carteira que será alocada em RV.

Abraços,"


Você precisa no mínimo 10 ações para diversificar, mas o ideal é você ter 20-30 ações para ter uma diversificação razoável. R$30.000,00/20 = R$1.500,00 por empresa, forçando você a operar no fracionário (maior spread, menor liquidez) e gerando enormes problemas de rebalanceamento. Os poucos reais que você economizaria na taxa de administração serão provavelmente absorvidos pelo maior spread bid/ask, daí minha recomendação de você ter ao menos R$100.000,00-R$200.000,00 para investir diretamente em ações.

"Olá, VR.

    Gostei muito do que vi no seu blog e também gostaria de saber se você poderia me dar algumas dicas.

    Vamos lá!

    Atualmente tenho 20 anos e sou pensionista do estado com uma remuneração de R$2500,00/mês , e no momento estou tentando engenharia numa universidade pública.
        Meu gasto mensal são exatos ou até mesmo menos do que R$500,00 , restando ao restante o aporte na poupança, que já contabiliza pouco mais de R$20 mil.
    
    Tenho como objetivo aprender a investir e aumentar meu patrimônio ao máximo, visto que essa pensão só durará até os 24 anos de idade e é justamente com parte dessa quantia que me manterei pós-faculdade até me estabilizar.

     Em vista disso, gostaria de saber se você poderia me dar algumas dicas de por onde começar a investir para aumentar meu patrimônio, se possível dentro do campo "conservador" pois não sou gosto de correr riscos.

Abraço e que sua prosperidade financeira siga bem!"

Você deve tratar esse valor como seu colchão de segurança, de forma que você não deve correr riscos. Eu não recomendo você investir em CDBs/LCIs de bancos médios, pois em caso de quebra até você receber o dinheiro do FGC pode demorar alguns meses. Foi o que ocorreu comigo com o BVA, para mim não houve problema mas pra você eu imagino que haveria! Recomendo portanto você investir no TD, que hoje possui boas taxas, é de funcionamento simples e tem liquidez todas as quartas-feiras com o mesmo risco da poupança (risco soberano). Recomendo você comprar um título com vencimento próximo a quando você imagina que precisará do dinheiro. Foque no seu capital humano para que consiga se sustentar o mais cedo possível.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Perguntas dos Leitores - Parte IV

"Oi,
Você poderia comentar os argumentos levantados nesse artigo?
http://exame.abril.com.br/rede-de-blogs/blog-da-analise-tecnica/2012/09/17/o-poder-preditivo-da-analise-tecnica/

Att."

Ser trader é uma estratégia perdedora, que serve para enriquecer quem vende cursos de análise técnica (como o Leandro Ruschel, autor do péssimo artigo), corretoras com as inúmeras corretagens e o governo com IRs desnecessários.

O texto caracteriza errado a teoria do "random walk" pois a mesma não prevê agentes sempre racionais ou perfeita informação dos agentes. Além disso, ao contrário do que alguns pensam o mercado não precisa ser eficiente para o investimento passivo ser preferível.

O autor prevê uma distribuição normal da variação dos preços das ações, quando é sabido que as ações seguem uma distribuição lognormal. Além disso, ele sugere um tipo de "trend following" usando como exemplos a queda recente da Cemig e o declínio a 0 da Enron, alegando assimetria informacional.

Obviamente que mecanismos elementares como os alegados pelo autor já foram exaustivamente testados e seriam de facílima arbitragem caso os mesmos funcionassem.

"Olá, qual negócio ou investimento (mais seguro) sugere para quem tem R$ 14milhoes e precisa de uma renda de R$ 120/150mil mes? Compra de salas comerciais para aluguel? Outros? Obrigada! "

Não existe rendimento seguro para quem quer retirar 0,85-1,1% ao mês, e independente da alocação de ativos você provavelmente exaurirá o portfólio caso tenha uma expectativa de vida maior que 15 anos. É recomendável você retirar não mais do que R$46.000,00, caso contrário terá que se satisfazer com uma retirada mensal de 0. Recomendo fortemente você ler meus artigos sobre TSR.

"Estou te mandando o link de um artigo que acabei de ler no investopedia e gostaria de saber sua opiniao, o artigo fala sobre diversificacao de estrategias de investimento e nao na tao aclamada diversificacao de ativos...

http://www.investopedia.com/articles/basics/12/diversify-strategies-not-assets.asp?utm_source=newstouse&utm_medium=Email&utm_campaign=NTU-10/3/2012#axzz28HPCsUlB"

Ele falar que buy and hold equivale a jogatina é uma afirmação quase que criminosa! O "return driver" mencionado provavelmente vem de alguma estratégia de stock picking/market timing que serve apenas como justificativa para cobranças de altas taxas de administração pelo Asset Management do autor.

A verdade é que o retorno de um ativo vem do risco embutido nele, então ou o investidor se arrisca mais para obter um maior retorno (investe em empresas menores, empresas endividadas, compra títulos de empresas em dificuldades e/ou com vencimento longo) ou ele deve se contentar com um rendimento menor. Análise técnica e/ou análise fundamentalista não geram alpha. Portanto, não há o menor cabimento em diversificação de estratégias de investimento pois tal atitude no melhor dos casos não gerará retorno extra e mais provavelmente terá um retorno menor por conta dos custos envolvidos.

"Boa tarde Sr. VR !!!
Sou casado, tenho 28 anos e minha esposa 25 anos com uma filha de 2 meses. Juntos temos uma renda familiar de aproximadamente 10 mil reais, um imóvel no valor de 120 mil reais que deve ser quitado em 2 anos. Estamos planejando montar uma carteira de investimentos de longo prazo para garantir nosso futuro e qualidade de vida. Tendo em vista que o nosso perfil é moderado e com sua experiencia na área de investimentos.
O que nos recomendaria para alcalçar sucesso nesta longa estrada???

Desde já agradeço sua atenção;

Att"

Como vocês são novos, invista a sua idade em % em renda fixa (28%, portanto), e o restante divida entre ações/ETFs (PIBB11, BOVA11, SMAL11) e FIIs. Rebalanceie anualmente e procure diminuir os custos de corretagem/custódia.

"Caro VR,

Tenho uma reserva a título de "colchão de segurança" no valor aproximado de R$ 10.000,00. Esse montante se encontra hoje aplicado na poupança e vem sendo remunerado com base na nova regra (70% da SELIC + TR). Estive pensando em aplicar esse dinheiro no Tesouro Direto, mas especificamente em LFT, uma vez que também é indexado a Taxa SELIC, e quem sabe assim conseguiria uma rentabilidade melhor, sem perder a liquidez (uma vez que os Títulos Públicos são negociados todas as quartas-feiras). O que você pensa a respeito? Os custos x retorno compensam a mudança?

OBS.: Não tenho custos para transferir o recurso para a corretora, tipo TED ou DOC, bem como a corretora com a qual trabalho para esse tipo de aplicação não cobra qualquer tipo de taxa de custodia e/ou administração.

Att."

Os custos e o IR fazem com que as LFTs tenham um rendimento líquido de aproximadamente 80% da Selic, sendo que o rendimento cai a pouco mais de 70% se você retirar o dinheiro antes dos 6 meses por conta do IR. Você conseguirá, portanto, uma rentabilidade ~0,7% a.a. maior investindo em LFT do que na poupança, que para o montante de R$10.000,00 equivale a R$70,00 ao ano, ou pouco menos de R$6,00 por mês. Você perderá um pouco da liquidez (semanal ao invés de diária) e terá deságio de ~0,5% caso necessite vender as LFTs, que podem muito bem corroer boa parte da rentabilidade extra. A diferença é pouca mas a meu ver vale o esforço sim!

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Uma luz no meio da escuridão

Praticamente um ano se passou e a comunidade financeira continua um lixo. Textos de péssima qualidade, "trolls" agindo livremente e no geral nada sendo produzido. 

Sei que meus textos ajudaram algumas pessoas, e sei que o blog aberto propicia outras pessoas a terem acesso a material sem dúvida melhor e principalmente mais honesto do que a maioria do que existe por aí, daí a minha decisão de abrir novamente o blog.

Os comentários serão fortemente moderados. Achou ruim? Fique a vontade em sair, sempre busquei qualidade e não em quantidade e é justamente isso que quero resgatar. 

Continuo não prometendo nada em termos de material novo. Quanto a minha vida, estou com ~R$1.600.00,00, solteiro e sinceramente pensando em aproveitar mais meu tempo e dinheiro.

Aos amigos e colegas, sejam novamente bem-vindos!

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Balanço 2012

"Life can only be understood backwards; but it must be lived forwards." (Soren Kierkegaard)

Eu não tenho do que reclamar de 2012. Estou com paz, saúde e ~R$650.000,00 mais rico. Perdi a virgindade do milhão antes dos 30 e meu portfólio rendeu excelentes +20,41%. Resultado maravilhoso pra alguém que nunca foi bom em nada. Para quem gosta de pornografia financeira segue a rentabilidade dos meus portfólios em 2012:

  • Portfólio geral: +20,41%
  • Mid-Large Value: +8,74%
  • Small/Micro-Cap Value: +24,01%
  • Imóveis/FIIs: +40,67%
  • Renda Fixa: +9,86%

Benchmarks:
  • MLCX: +12,09%
  • SMLL: +28,67%
  • Ibovespa: +7,4%
  • IFIX: +29,3%


Mid-Large Value: 

Estando o portfolio 33% em elétricas, é uma surpresa que consegui finalizar o ano no positivo. Levei uma encoxada por trás da Dilma tanto em BBAS3 quanto nas elétricas, mas as outras ações ao menos serviram de vaselina!

  • Melhor performance: SBSP3: +73,7%
  • Pior performance: Eletropobreta3: -47,4%


Small/Micro-Cap Value:

Fiz algumas apostas nesse portoflio, entre elas FJTA4 (me dei muito bem), MGEL4 (me fudi) e TERI3 (ok).  No geral, o mercado proporcionou excelente performance e prêmio de tamanho em 2012.

  • Melhor performance: GRND3: +133,1%
  • Pior performance: MGEL4: -41,4%

Imóveis:

Apesar da alocação conservadora praticamente sem contratos build-to-suit, sem FIIs de papéis, renda mínima ou fundo de fundos minha performance foi sem dúvida excepcional. Nada a reclamar em 2012. Já 2013...

Renda Fixa:

BVA.

Meus chutes completamente sem mira para 2013:
  • Mid-Large Value: +15%
  • Small/Micro-Cap Value: +15%
  • Imóveis: -10%
  • Renda Fixa: +7%
  • Portfólio: 4%
Quanto ao blog, infelizmente ele ficou meio de lado: trabalho, namoro, lazer e um pouco de saturação quanto a finanças relegaram este espaço para um papel secundário. Não irei prometer nada diferente para 2013.


Que 2013 seja exatamente como 2012! Rumo aos milhões, com disciplina, inteligência e paciência!

Quanto mais alto se sobe, mais longe é o horizonte.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Utilizando o FGC na prática - Parte III

Conforme notícia trazida pelos colegas nos comentários que pode ser lida aqui, a reportagem informa que o FGC já pagou cerca de R$1 bilhão aos investidores do BVA. Como vi pelo site que nada ainda foi pago aos pequenos investidores, resolvi tirar a dúvida com o próprio FGC, em que fui rapidamente respondido:

"Prezado

Os valores pagos foram do produto DPGE que tem como caracteristica designada pelo Banco Central o pagamento em até 3 dias, as ordinárias (os outros produtos garantidos pelo FGC), não foram liberados para pagamento.

Todas as informações serão disponibilizadas em nosso site, após finalização do levantamento do interventor designado pelo Banco Central, sem previsão de data.

Por gentileza, acompanhe as informações nos comunicados de nosso Site.

www.fgc.org.br à *Comunicado – Banco BVA S.A.*

Atenciosamente,

Fundo Garantidor de Créditos – FGC"


sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Utilizando o FGC na prática - Parte II

Segue comunicado emitido pelo FGC sobre a intervenção no BVA: Aqui

Conteúdo do comunicado:

"Ref.  Banco BVA S.A. – Sob Intervenção

Pagamento aos Credores 

Prezados Senhores Credores,

Referimo-nos ao Ato-Presi  1.238, de  19.10.2012, por meio do qual  foi
decretada a Intervenção no Banco BVA S.A., CNPJ 32.254.138/0001-03, com 
sede na cidade do Rio de Janeiro (RJ), para informá-los que estaremos 
disponibilizando instruções para que seja realizado o pagamento aos credores 
de investimentos garantidos por este Fundo Garantidor de Créditos - FGC.
Tão logo  tenhamos  a identificação dos investidores, a ser fornecida pela 
CETIP,  os pagamentos serão imediatamente  disponibilizados  aos  credores 
titulares de DPGE – Depósitos a Prazo com Garantia Especial do FGC.
Oportunamente serão divulgadas as datas para o pagamento de garantia aos 
demais credores.

São Paulo, 19 de outubro de 2012.

Fundo Garantidor de Créditos – FGC
A Diretoria"

Não há duvida, portanto, que de fato só receberei esse dinheiro através do FGC, sendo que os titulares de DPGE serão pagos antes. Procedimento igual foi realizado no Cruzeiro do Sul e Prosper. Não há nada a se fazer além de aguardar o próximo comunicado.