sábado, 27 de agosto de 2011

Aporte x Rentabilidade: O que é mais importante?

É incrível como mais uma vez vejo os comentários do blog e o pessoal "se batendo" com coisas básicas, apresentando um recency bias que me faz ter certeza que o ser humano continuará cometendo os mesmos erros até o armageddon no que se refere a finanças.

A bola da vez agora é a rentabilidade dos ativos, ou como ela é de pouca ou nenhuma importância quando comparada aos aportes a um portfolio.

Vamos voltar ao básico e deixar claro o peso de cada variável no caminho à independência financeira, com o auxílio da equação básica de juros compostos:


J = Juros
C = Capital
i = taxa
n = períodos

Ao final de um portfólio, nada mais teremos do que C+J. Portanto, o nosso objetivo como investidores é aumentar ao máximo possível tanto o capital quanto os juros.

Vejam, no entanto, que o juro é capitalizado EXPONENCIALMENTE pelo tempo (n). Isso significa, a título exemplificativo, se aumentarmos 4x a variável n podemos diminuir 9,5x (-95%!!) o capital (C) com um i de 0,1. Portanto, pela própria matemática da coisa podemos extrair a lição elementar: Comecem a investir cedo, PORRA. Isso é fundamental. Um capital de R$200 reais investido por 40 anos a 10%a.a. equivale a um de R$3.500,00 investido por 10 anos. Portanto, por menor que seja a quantia inicial ela faz sim muita diferença no longo prazo.

Na verdade, o tempo é tão importante para a montagem de um portfolio que em um horizonte de investimento típico de um investidor (40 anos), os 10 primeiros anos valem mais do que os outros 30. Façam os cálculos vocês mesmos e comprovem.

Além do tempo, temos o tema do artigo em si: Aportes e rentabilidade. Os dois possuem importância inversamente proporcional ao tempo de um portfolio. Isso quer dizer que no início da fase de acumulação os aportes são muito mais importantes, já na fase final a rentabilidade é o que importa.

Em um artigo anterior eu já postei uma simulação hipotética de dois investidores, um aportando 10% do salário a uma taxa de 5% e outro aportando 5% a uma taxa de 10%. Segue ela novamente:

Vejam como nos primeiros 25 anos quem aporta mais está em vantagem. Já ao final do prazo o portfolio com maior rentabilidade é quase 60% maior.

A questão é que a grande maioria dos leitores do blog possuem portfólios muito novos e não puderam apreciar na prática o poder dos juros compostos, ainda mais com a bolsa brasileira não dando qualquer tipo de retorno ao investidor nos últimos 4 anos.

O meu objetivo é viver de renda com no mínimo 3 milhões de reais. Quando meu portfolio tiver esse tamanho qualquer 1% a mais ao ano irá representar R$30.000,00, um valor de praticamente de 1 ano de aportes. Uma queda de 50% no início de um portfolio pode significar um mês de trabalho a mais. Uma queda semelhante no final do portfolio é irreparável e catastrófica. O inverso também é verdadeiro: uma alta de 50% pode te salvar 15 dias de trabalho no início de um portfolio ou 15 anos ao final dele.

Isso não significa, no entanto, que eu terei que devotar horas e mais horas do meu dia dando atenção ao meu portfolio. Se uma coisa que eu aprendi de forma muito clara é que definitivamente NÃO há uma relação entre estudo/conhecimento x rentabilidade, ou em termos mais técnicos: o alpha não existe. Qualquer investidor que invista 30% em PIBB, 30% em SMAL11 e 40% em renda fixa se sairá melhor que 90% dos investidores em 5 anos e até 99% dos investidores em 15 anos ou mais. Eu não estou tirando esses números da minha bunda: basta olhar o percentual dos fundos mútuos ativos americanos que batem o s&p500 em 15 anos. Mantenha-se passivo, rebalanceie 1 vez ao ano e não faça market timing. FIM. Esse portfolio que qualquer idiota pode seguir se sairá de forma maravilhosa a longo prazo, oferecendo uma relação risco/retorno bem interessante, e sem necessidade de acompanhar mercado, ler balanços e perder aquilo que você tem de mais precioso: seu tempo.

Investimento não é algo complicado. Já o tal do investidor...

"Se eu aumentar o load SmL do meu portfolio em 0.1 aumentarei o sharpe ratio em 0.03 com um VaR idêntico!"

Boa semana a todos!

54 comentários:

  1. pobretão de vida ruim27 de agosto de 2011 22:15

    Exatamente. E é por isso que surgiu essa discussão que é um novo marco nos blogs de finanças brasileiros, que o aporte é fundamental.

    Explico porque:

    1. Queremos ficar ricos cedo e rápido. Só com aportes altos é possível. Se não ficamos vítimas daquela continha safada de "ah invista 10% do salário em 30 anos que fica milionário". Ora quem quer TRABALHAR VIVENDO MAL POR 30 ANOS DA VIDA???

    2. Quando o bolo de grana é alto, fica fácil fazer estratégia, como você mesmo disse, qualquer estrategiazinha simples de 40%, 40%, 20%, 50% RF 50% RV, 75% RF 25% RV, o juro é monstruoso num bolo de 500.000 reais, 1.000.000 de reais, todo mundo é gênio.

    3. O foco no começo da vida do investidor é potencializar o aporte, consolidando carreira, negócio e fluxos de caixa diversos. Tem que melhorar o ataque porque se depende só da defesa (despesas), vai ficar que nem os blogs americanos que só falam de frugalidade e só falam em cortar papel higiênico, ligar pra banca pra ganhar 100 dólares. Isso é patético.

    Sou do partido do Ramit do blog 'i will teach you to be rich" que fala que o é importante é o ataque (receitas) e a defesa tem que ser ajustada mas não o foco total.

    Vamos acordar pra verdade que o VR no blog nos permitiu juntos enxergar.

    ResponderExcluir
  2. VR,

    Vc acha mais interessante o rebalanceamento por tempo ao invés de por desvio de percentual ?
    Pq?
    Pretendo rebalancear a cada desvio de 20%.
    Ou seja, se estiver com 50% em RF e 50% RV e cair para 40% RV e 60% RF, faria o rebalanceamento.
    Vi um artigo do INI exatamente propondo esse tipo de rebalanceamento.
    abs

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de ter começado a investir com 16 anos e não com 26...
    30 anos é tempo bagaray...

    ResponderExcluir
  4. Pobretão de vida ruim,

    Sobre:

    "... vai ficar que nem os blogs americanos que só falam de frugalidade e só falam em cortar papel higiênico, ligar pra banca pra ganhar 100 dólares. Isso é patético."

    Se os blogs dos EUA, estão focando nisso, deve ter algum motivo. Acredito que seja como o meu exemplo abaixo:

    Você acha mais fácil viver com 1.000 reais ao mês a menos na sua conta ou juntar 205.465 reais ?
    No meu caso pessoal, acho mais fácil cortar estes 1.000 reais.

    E com o tempo passando, aumentando seu capital, você poderá dar o luxo de aumentar aos poucos suas despesas, se desejar.

    Fiz os cálculos baseado na rentabilidade líquida do tesouro direto 6% ao ano, sem considerar os impostos.

    ResponderExcluir
  5. Excelente artigo! Mas eu gostaria de focar por um outro angulo: O capital é a única variável que podemos mudar mais facilmente (ou não..); assim o foco no inicio da carreira de um investidor deve ser ganhar mais para poder investir mais. Depois de um certo valor os aportes cada vez agregam menos (lei dos retornos diminuidos)

    Outro ponto essencial que vc comentou: a partir de um certo montante de capital é mais importante não perder do que ganhar muito.

    Abs

    ResponderExcluir
  6. pobretão de vida ruim28 de agosto de 2011 11:50

    Investidor defensivo

    Seu foco é muito em despesas e não em receitas. Chega um ponto que fica impossível cortar despesas e convenhamos, a vida fica um saco só cortando despesas e se privando.

    Sou extramamente pão duro, jogo bem na defesa financeira mas isso cansa. É fogo não poder comprar nada. É fogo ver a galera de carro, ipad, iphone, viagens internacionais e você PODE ter e fazer isso mas não o faz pra economizar pra um dia ser rico. É chato, causa problemas psicológico pela privação, e a sua vida fica sempre no querer.

    É mais legal e saudável o cara conseguir mais 3000 reais de fluxo de caixa por mês na qual ele adiciona 1000 reais alocados para despesas pra ele torrar e viver uma caminhada pra riqueza mais tranquila e divertida e os 2.000 reais pra investimentos. Isso é um fato.

    Obviamente que também do outro lado, é mais fácil e chato cortar despesas porque está no nosso controle mas também menos maleável visto que cortar 1000 reais de despesa é dificilimo para pessoas já frugais porém todo 100 reais a mais de fluxo de caixa é ótimo.

    ResponderExcluir
  7. Pobretão,
    Realmente ando focando mais em despesas.
    Ainda não encontrei o caminho fácil para aumentar a receita. Caminho difícil eu sei. É só trabalhar mais do que as 8 horas normais, talvez ser empreendedor, melhorar na carreira, vender paçoca na rua etc. Tudo tem seu preço. E cada um avalia se vale a pena este custo/benefício.
    Concordo com tudo que vc citou no seu comentário. A batalha psicológica é tremenda.
    Tudo depende da vontade de você querer algo.
    Por na balança. Por exemplo.Vale a pena comprar um carro novo e adiar uns 2 anos da sua liberdade financeira? Ou talvez haja um meio termo. Adiar um ano e comprar um usado de 2 anos de uso...Apenas um exemplo. Nao fiz cálculos.
    É uma coisa muito pessoal. Apenas vc pode avaliar o que é mais importante para vc.
    E cuidado com o consumismo... A galera compra tudo. Mas quem vai ter que pagar suas contas para acompanhar a manada é vc.

    Abs!

    ResponderExcluir
  8. pobretão de vida ruim28 de agosto de 2011 15:34

    É verdade tem que pôr na balança.

    Ultimamente vejo que a caminhada é longa demais mesmo eu aportando um valor relativamente bom (2.500k a 2.800k) por mês, que é o que muito brasileiro ganha. Mesmo assim isso é um porre porque o bolo não cresce, demora 3 anos pra chegar em 100.000 e 20 pra 500.000, aí vocÊ ainda toma porrada na bolsa, o título do tesouro o rendimento é tosco também quando faz as contas no simulador (investindo 30.000 final do ano tem 1000 réis que é isso, limpa a b**da com isso kkk).

    Então não tem jeito, não vivo, não curto, toda hora fico pensando no quanto tô gastando, e não consigo e não vou me desligar disso porque é o único jeito porque eu não vou ficar na frente de um computador 10 horas por dia por 40 anos trabalhando pros outros de jeito nenhum. Então espero que um dia a bolsa vire, que eu consiga mais fluxos de caixa pra minha vida virar eu poder me aposentar cedo, fazer o que gosto.

    Aporte = liberdade financeira
    Receita = liberdade financeira!

    ResponderExcluir
  9. Pobretão,

    Te compreendo perfeitamente.
    Mas não tenho solução quanto a isso.
    E outra coisa. Acho que vc está reclamando um pouco com a barriga cheia. São poucos no Brasil que conseguem fazer este aporte deste valor que vc faz. Considero um ótimo aporte.
    Acho que vc está indo muito bem.

    ResponderExcluir
  10. Ótimo post, VR. faz a gente pensar sobre nossas estratégias...

    Uma coisa que reparei que o pessoal estava confundindo nos comentários do último post era a rentabilidade e o crescimento do patrimônio. São duas coisas diferentes, e o ideal é ter os dois.

    Eu por exemplo, estou com -15% de rentabilidade nos últimos 12 meses, porém meu patrimônio mais do que triplicou neste período. Graças aos aportes.

    Quando o resultado de minhas compras aparecerem e a entabilidade mostrar as caras, os aportes vão ter valido a pena. Pelo menos é o que eu espero.

    Portanto minha gente, é importante aportar capital, mas também é importante fazer ele render.

    E é importantíssimo viver bem, pobretão de vida ruim. A nossa renda está intimamente ligada a isto, porém não é ela que define se você está vivendo bem ou não.

    ResponderExcluir
  11. Alguns anos atrás publiquei em meu blog uma fórmula para ver quanto capital o cara terá mantendo uma determinada rentabilidade e fazendo aportes mensais (normalmente o efeito dos aportes tb nao eh mostrado). Caso alguém se interesse: http://demoniodemaxwell.wordpress.com/2008/05/13/juros-compostos/

    ResponderExcluir
  12. pobretão de vida ruim28 de agosto de 2011 21:14

    "porém não é ela que define se você está vivendo bem ou não"

    Me desculpe mas a causalidade é altíssima e relevante.

    Quem nega isso gosta de ser pobre ou se contenta em viver uma vida comum e sem graça escravo dos outros pra sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, vc escreve sob a alcunha de "pobretão" e tem sobrando ao menos 2,4k~2,8k por mês. Eu vivo uma vida plena com menos da metade disso. Não queria me meter nos assuntos dos outros assim, cada um q sabe de si, mas talvez no seu caso o melhor investimento no momento seria numa terapia, um bom psicólogo e uns 6 meses podem mudar tua postura, teus objetivos, tua vida. E tudo isso se reflete na tua carteira depois. Fora que uns meses de aportes menores (por conta dos R$1,2k/mes de terapia) não terão o mesmo impacto que vc ser feliz com o que já conquistou!

      Excluir
  13. Pobretão,
    Sou quase tão radical quanto vc na visão de "escravidão".

    Já pensou no conceito de semi-aposentadoria ?

    http://investidordefensivo.blogspot.com/2010/10/semi-aposentadoria.html

    Talvez não seja uma solução perfeita, mas considero interessante.

    ResponderExcluir
  14. VR,
    Cara, post fantástico, falou tudo de maneira claríssima.
    Concordo contigo, a coisa é simples: PIBB, SMALL e RF, o investidor é que complica.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  15. pobretão de vida ruim28 de agosto de 2011 22:52

    ID.

    Que bom que você é da mesma linha que eu nisso, ás vezes me sinto sozinho, vejo esse pessoal com prazer em trabalhar, que dinheiro não é tudo isso, blá blá, passo até mal rsrs... Me dá 1.000.000 pra ver o que é um cara sorrindo 24 horas com a nova liberdade atingida..

    Já tinha lido este seu artigo porque acompanho seu blog e realmente é uma opção mais palatável e torna a vida menos ruim. Pra mim ser dono de franquia, empresa, trabalhando lá 3x por semana 4 horas por dia só checando números fazendo supervisão já é maravilhoso. Se o cara tiver uma franquia e 500.000 rendendo como fundo (usando a franquia como a fornte de renda) já é uma situação legal. Fogo é atingir os 500.000 pois pra semi-aposentadoria tem que ser um valor legal mesmo assim..

    O dificil não é os 1.000.000 e sim os 500.000. Quem tem 500.000 é muito mole chegar nos 1.000.000.

    ResponderExcluir
  16. Quem me dera ter tanto prazer em trabalhar 40 horas por semana.
    Infelizmente não tenho essa sorte (ou ilusão implantada na mente).
    Seja qual for o valor, quanto mais dinheiro guardado, digamos 300 mil, vc pode ter mais flexibilidade e liberdade de mudar para um emprego até para ganhar menos, mas pelo menos seja menos chato para vc, até vc conseguir a liberdade financeira.Isso pensando por exemplo.
    que os 300 mil renda 1500 ao mes e vc perca com a mudanca de emprego 1000 reais... Vc ainda está com rendimento positivo de 500 reais, continuando a aumentar seu capital. Mas lentamente, é claro. Mas talvez compense. Mais uma vez, cada caso é um caso.
    Penso nisso também. Até para mim no futuro, se achar conveniente.

    ResponderExcluir
  17. Pobretão, eu não neguei a causalidade...

    Conheço uma pessoa que tem patrimônio na casa dos 600.000,00 e ganha 6k por mês. Ele vive muito melhor do que um outro cara que eu conheço que tem patrimônio na casa dos 3 milhões e meio e ganha uns 20k por mês...

    O engraçado é que nenhum dos dois é independente financeiramente.

    Ninguém aqui tá falando em sobrevivar com milzinho...

    O meu ponto é: O que vc faz durante as 24 horas do teu dia, é tão importante quanto tudo mais. Muita gente tem um emprego maldito, que odeia, e fica sonhando com o dia em que vai ser milionário para poder largar aquilo... Dá pra largar antes...

    A vida tem que valer a pena sem o teu milhão, pra ela valer mais ainda com ele.

    ResponderExcluir
  18. VR, estou totalmente de acordo.

    Só me pinta uma duvida - vc pensa em reduzir gradativamente sua posição em RV (e, consequentemente, o risco e a rentabilidade esperada) a medida que vc for ficando mais velho?

    Abraço

    ResponderExcluir
  19. pobretão de vida ruim29 de agosto de 2011 00:00

    "A vida tem que valer a pena sem o teu milhão, pra ela valer mais ainda com ele. "

    Não entendi amigo.. a vida agora não vale a pena pois as 24 horas da minha vida, cerca de 12 a 15 são pro meu mestre dono (empregador e mercado) já que tem as horas de banho, café, comida, locomoção, etc. Eu não tenho o que fazer durante o dia pra fazer minha vida valer a pena pois estou na frente de um computador recebendo ordens e com pressão nas costas por resultados.

    Teu amigo de 6k e 600 de patrimônio vive melhor que o de 3M e 20k porque? O que o de 6k tem? Motivação interna? Trabalho fácil, flexivel, bons horários?

    ResponderExcluir
  20. @ pobretão de vida ruim

    "Exatamente. E é por isso que surgiu essa discussão que é um novo marco nos blogs de finanças brasileiros, que o aporte é fundamental."

    Acho que vc lê há pouco tempo os blogs da área ou está lendo os errados. Qualquer investidor que estudou um mínimo sabe da importância dos aportes no início da construção do portifólio.

    Este post do VR, que inocentemente vc chama de "marco nos blogs de finanças brasileiros", foi um de recapitulação de conceitos básicos.

    "1. Queremos ficar ricos cedo e rápido"

    Há quem queria buscar estratégias de investimentos de longo prazo que são muito mais palpáveis do que a difícil tarefa de enriquecer rápidamente. Se vc quer ficar rico cedo e rápido está procurando no lugar errado.

    "eu aportando um valor relativamente bom (2.500k a 2.800k) por mês... demora 3 anos pra chegar em 100.000 e 20 pra 500.000"

    Nunca ouviu falar em juros compostos ? A não ser que vá colocar o seu dinheiro debaixo de um colchão a sua conta está errada. Aportes de 2.5k com juros de 5% a.a acima da inflação vc terá em 20 anos por volta de 1 milhão nos valores de hoje.

    Recomendo fortemente ao amigo estudo de pontos básicos de investimentos. A leitura de livros (e não só blogs) é essencial.

    ResponderExcluir
  21. "Demonio de Maxwell"

    Legal este seu artigo. Vc ainda escreve sobre finanças no seu blog? Uma curiosidade: vc por acaso é o Maxwell do forum IA (Minefield do forum InfoMoney) ???

    ResponderExcluir
  22. Excelente post! Muito interessante!


    http://encontrodeinvestidoras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. pobretão de vida ruim29 de agosto de 2011 13:22

    Major,

    É marco sim. Porque nesses blogs que já leio há 2 anos e mais 3 anos de estudos só falam em estratégias e frugalidade.

    O foco nunca foi em aporte via carreira, empresas, fontes diversas de renda é sempre "asset allocation, 50% isso, 50% aquilo".

    É um marco sim. Nem os blogs americanos na qual o brasileiros se baseiam (get rich slowly, free money finance, the simple dollar, barganering) falam direito nisso só falam em economizar em paste de dente e tarifas de banco pra ganhar 50 dólares por mês.

    ResponderExcluir
  24. Legal o post VR, como sempre. Entretanto, como comentei no post anterior, eu ainda acho que uma seleção criteriosa de empresas boas e negociadas a preços depreciados deve trazer desempenho superior no longo prazo sobre uma carteira passiva. Nos termos do Benjamin Graham, essa seria a diferença entre o "Enterprising Investor" e o "Passive Investor", e obviamente só faz sentido uma pessoa tentar ser um "Enterprising Investor" se houver expectativa de algum retorno a mais do que o obtido pelo investidor passivo (ele acredita que isso seja possível, eu também!).

    Essas carteiras de ações que compõe os principais índices (tipo IBOV) sempre possuem uma boa quantidade de empresas que (1) ou não são boas, (2) ou são especulativas, (3) ou são negociadas com um prêmio muito alto devido à grande expectativa que se tem da empresa. Nessa categoria e compondo o IBOV eu vejo, por exemplo, as empresas do grupo X, i. e., do Eike Batista (que são negociadas com prêmios ridiculamente altos na minha opinião, simplesmente porque todo mundo acha que o cara é o Midas brasileiro).

    Enfim, eu vejo como uma estratégia promissora a diversificação criteriosa em ativos de qualidade, excluindo-se aqueles que sejam considerados supervalorizados e/ou arriscados demais.

    ResponderExcluir
  25. Pobretão, pare de reclamar da vida. Se seu emprego é ruim, mude! Reclamar não vai melhorá-lo. Se as taxas do tesouro nacional são ruins, então vá investir em RF nos EUA ou no Japão. Se tem que sacrificar para ter liberdade financeira, faça uma escolha! Ou se entupa de iphones e vá ser pobretão e feliz.

    Eu invisto o mesmo que vc há dois anos, e o meu "case" (pra usar uma palavra que não tem correspondente em português) vale pras últimas discussões: hj tenho 360k (já tendo passado dos horríveis - concordo com vc - primeiros 100k) graças a: market timing sabido? Rentabilidade mais esperta que a maioria dos ursos? Não! FGTS de 10 anos de trabalho, que tal?

    Comprei um ap em 2007 pq casei (no meio da subida de imóveis) com FGTS de 10 anos, e mais um troco de Vale que havia comprado com um pedaço do FGTS em 2002. Ou seja, vendi Vale antes da crise de 2008 e comprei imóvel na subida. Separei-me e vendi o ap neste ano, e tenho sensacionais 360k graças a ... dinheiro que não pode ser mexido (FGTS)! E ainda mais 300k de fundo de pensão do trabalho, outro dinheiro que não pode ser mexido.

    Em resumo, apesar de ser um leitor assíduo destes blogs, ter gasto dindim com livros de investimento, o grosso do meu patrimônio (uns 600k) foi acumulado graças a "investimentos" quase involuntários.

    Anônimo desconhecido sem nome próprio ou identidade reconhecida

    ResponderExcluir
  26. Intão, pra vcs poderem jogar pedra com propriedade, meus dindins são uns 300k de fundo de pensão (15 anos juntando "involuntariamente" - descontado em folha - e vivam os juros complexos (ao contrário dos simples, ou seja, compostos pra quem não entendeu)), mais uns 300k da venda do imóvel, mais uns 60k de aplicações disciplinadas há dois anos, seguindo complexas estratégias de investimento com aportes mensais e blá blá blá.

    Resumindo: 300 derivados de fundo de pensão, 300 de FGTS convertidos em imóvel e reconvertidos em dindin e 60 de aportes mensais. O que quero dizer é que, nesta altura do campeonato, quando fui ler mais sobre investimentos, percebi que o grosso veio de "poupança involuntária". É claro que hj manejo melhor tudo, mas não menosprezo "poupanças involuntárias", o que no decorrer dos anos me deu a maior parte do meu patrimônio.
    Abs
    Anônimo desconhecido sem nome próprio ou identidade reconhecida

    ResponderExcluir
  27. Boa noite, pessoas...

    Não gostei do exemplo de 10% a.a. em 40 anos. Acho difícil conseguir um rendimento REAL de 10% a.a. As rentabilidades são bem menores e é por isso que o aporte pequeno não ajuda muito.

    Bem, sobre a fórmula: i pequenininho e C pequenininho = J pequenininho mesmo pra n=40. Talvez pra n=300 a coisa funcione e seus tatatatatatataranetos possam curtir a vida.

    ResponderExcluir
  28. pobretão de vida ruim29 de agosto de 2011 23:04

    Anônimo sem nome:

    Sim reclamo porque não posso mudar de emprego pois não encontrarei algo que preste com este salário, ou seja, trabalhar 10 horas por dia e lá vamos nós.

    Parabéns pelo que acumulou mas foi mais por cagada que por esforço (como eu) fiz, ou seja, foi mais sorte (FGTS e compra de Vale na alta) do que outra coisa. Ainda por cima se separou sorte que não paga pensão, escapou por pouco, eu passo longe de mulheres pra casar, só fico com elas e chuto a bunda.

    Não, não investirei fora da bolsa brasileira horrorosa nem investirei na horrorosa RF brasileira (isso aí 50.000 reais no final do ano tens ridículos 1500 reais que legal).

    Teu comentário não serviu pra nada na boa mas vamos em frente, aportando forte e vivendo nada..

    ResponderExcluir
  29. Pobretão, na boa, precisas de um psicólogo; se não há outro emprego com seu salário, então ganha bem; se não gosta da renda fixa do Brasil, então vai gostar de qual? Já sei, não gosta de nada, espera que a sorte a providência Deus a mega sena te cubra de ouro para parar de reclamar ou ... veja a vida feliz que tem, com rendimentos acima de 90% dos seus conterrâneos brazucas.
    Se não gosta do que tem, a vida é simples: muda! Abre uma franquia, venda paçoca e pipoca no estádio nos sábados e domingos; Se não pode mudar, pense porque não pode (medo? insegurança? ou até que a vida não está tão ruim assim?). Ou vai ficar lamentando porque sua mãe não deu pro Eike e vc já teria nascido milionário?
    Tua vida não tá tão ruim assim, malandro, tome uma fluoxetina que melhora ...

    ResponderExcluir
  30. Pobretão, a "horrorosa" bolsa brasileira (que já deu muitas alegrias pré-2008) e a "horrorosa" RF brasileira (a maior do mundo; deve ter um bilhão de pessoas que discordam de vc) não foram feitas pra te fazer rico; isto só cabe a vc; desça do seu pedestal e corra atrás. Reclamar, no geral, não traz dinheiro.

    ResponderExcluir
  31. Pessoal, estou com uma dúvida de investimento e gostaria de uma análise de vocês.

    Sou um investidor que apenas aplico em imóveis. Não em fundos imobiliários, imóveis mesmo, compro, fico um pouco e revendo. Pintou uma oportunidade diferente do que faço normalmente e estou pensando se vale a pena ou não abocanhá-la.

    Um apartamento (flat) em uma região nobre, por R$ 95.000,00. Ele está locado por R$ 800,00 livres para mim (fora a valorização, e perspectiva de aumento do aluguel, já que é uma área que está crescendo muito). Estou pensando em dar uma parte de entrada e financiar o restante (a taxa de juros do financiamento está baixíssima, algo como 7% anuais, e consigo tirar bem mais que isso em minhas operações). Com R$ 25.000,00 de entrada a prestação daria R$ 650,00, sobrando R$ 150,00 (usaria para ir pagando o saldo devedor). Vocês que estão neste meio de RF e RV e rentabilidades mensais/anuais, acham que vale a pena?

    Anônimo Imobiliário

    ResponderExcluir
  32. Caro VR, talvez neste tópico você possa responder de que maneira lidará com um hipotético cenário completamente adverso ao atingir sua meta. Pode desenvolver mais este raciocínio "Uma queda de 50% no início de um portfolio pode significar um mês de trabalho a mais. Uma queda semelhante no final do portfolio é irreparável e catastrófica. O inverso também é verdadeiro: uma alta de 50% pode te salvar 15 dias de trabalho no início de um portfolio ou 15 anos ao final dele"? Qual será sua estratégia? Converterá aos poucos para RF? Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  33. Anônimo Imobiliário, se tivesse um negócio desse com certeza eu comprava, principalmente especulando com a valorização imobiliária. Só achei o juro meio caro (7%), você consegue na CEF com taxas entre 4,5 - 5,5%, caso não tenha imóvel no seu nome. Caso tenha, pai e mãe existem pra isso. :-) Abraço,

    ResponderExcluir
  34. VR e demais colegas,
    Tenho uma estrategia de aportes altos (+/- 50% renda), e alocação de 30% PIBB, 60% RF, 10% imóveis (terrenos, principalmente).
    Gostaria de saber as razões que levam vocês a comprara small caps e onde posso encontrar embasamento teórico (livros, artigos, etc) para me decidir a comprá-las ou não...

    ResponderExcluir
  35. pobretão de vida ruim31 de agosto de 2011 12:59

    Aporte alto não é % de salário e sim valor absoluto.

    1000 reais por mês é baixissimo, 2000 é razoavel, 3000 é bom, 4000 pra cima é excelente, 5000 pra cima só uma tragédia não te faz milionário.

    Portanto dificil falar qual melhor estratégia sem saber o valor absoluto.

    ResponderExcluir
  36. Pode considerar o aporte como acima de 5000.
    Agora, por que deveria comprar small caps?

    ResponderExcluir
  37. pobretão de vida ruim31 de agosto de 2011 14:56

    Porque elas no futuro se valorizam mais pois vem de uma base mais baixa, maior potencial de crescimento então se valorizarão mais e tu vais ganhar mais porém tem mais risco, mais voláteis pois são as primeiras a apanhar na crise e se fizerem cagadas administrativas não tem muita massa pra sairem do problema ao contrário de uma blue chip que é muito mais estável e menos arriscada.

    ResponderExcluir
  38. Sim,sim... mas vcs escolhem quais small caps vão comprar uma a uma? Ou existe um fundo de índice, tipo PIBB para small caps?

    ResponderExcluir
  39. pobretão de vida ruim31 de agosto de 2011 19:03

    Sim small11 é como se fosse o PIBB de small caps.

    VR não curte porque tem alta taxa de adm então ele compra individualmente olhando as ações que compõem tal índice.

    ResponderExcluir
  40. Tipo PIBB (mas com taxa bem maior) tem o SMAL11: http://br.ishares.com/product_info/fund/overview/SMAL11.htm
    e assim como o PIBB não te dá isenção de IR abaixo de 20k

    ResponderExcluir
  41. Estou apostando em SMAL11 exatamente por isso.
    Não dá pra ser covarde em ambos os lados.
    Estou dizendo, covarde e medroso de largar o trabalho assalariado e ser totalmente covarde tb nas ações. Tenho aporte pequeno e um prazo razoavel uns 15 a 20 anos... por isso, pq não arriscar ? Se ganhar um valor razoavel pela frente, diminuindo o risco, investindo nas LARGE...

    ResponderExcluir
  42. Obrigado pela ajuda Bruno M.

    Vou dar uma olhada hoje no flat e ver se dá pra confiar no contrato de locação e ver certinho como funciona, tenho medo de comprar financiado, ficar uns meses sem locação e ter que bancar o financiamento.

    Anônimo Imobiliário

    ResponderExcluir
  43. Uma tirinha sobre o assunto: http://xkcd.com/947/

    ResponderExcluir
  44. VR,
    Sugestão. Coloque o "bloco" de busca do próprio blogspot aqui... Fiz isso no meu blog.
    abs.
    Mas claro que vou caçar o artigo sobre TSR com o google ao invés de abrir cada mês aqui.rs

    ResponderExcluir
  45. "Mantenha-se passivo, rebalanceie 1 vez ao ano e não faça market timing."

    Gostaria de saber o resultado dessa estratégia para quem começou a investir no Japão na década de 80.

    ResponderExcluir
  46. Anonimo,

    Presumo que voce esteja se falando a 1989, no pico do pico da bolsa japonesa, em que o PL do nikkei foi a 100! Isso é o equivalente à bolsa brasileira estar a 600.000 pontos atualmente, e termos Petro com PL de 60, Hypermarcas com PL de 300, ambev PL de 200, etc. Enfim, uma insanidade perceptivel.

    Engraçado que, quem comecou a investir no Nikkei em 1980 teve o valor de suas acoes aumentado em quase 50% além de 30 anos de dividendos. Nao é nada maravilhoso, mas longe do pesadelo que se imagina que foi o mercado de capitais japonês.

    Por fim, quem investiu em valor durante o periodo da bolha japonesa hoje estaria no lucro. Bolhas tendem a se concentrar em acoes de crescimento por motivos obvios.

    Abraços,

    VR.

    ResponderExcluir
  47. Olá VR! Tudo bem?

    Seu site é muito bom e me inspirou a montar um plano de investimento para os próximos 15 anos.

    Com um capital de 200k e capacidade de aportes de 3K (às vezes mais), vc acha razoável buscar um patrimônio de 5M no final do período? Minha estratégia é formar uma carteira de ações blue chips e, com o passar do tempo e com o crescimento do PL, pretendo migrar da renda variável para a renda fixa aos poucos. Atualmente, estou 100% concentrado em renda variável, com papéis 7 papéis de empresas sólidas de diferentes segmentos, com 80% em empresas defensivas focadas no mercado interno (telefonia, elétrico, bancos, etc) e 20% em commoditties (petróleo e siderurgia). Vc acha um bom plano?

    ResponderExcluir
  48. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário acima sem a propaganda:

      "As duas coisas são importantes. A Rentabilidade da carteira dita os rendimentos, e o aporte dita o volume que será trabalhado. Para tipos diferentes de investimentos deve-se ter tipos diferentes de percentuais a ser trabalhados. Interessante a visão. Bom post."

      Excluir