sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Estratégia para Investimentos Internacionais

Aqueles que estão acompanhando as atualizações mensais sabem que o maior risco que eu possuo hoje com relação ao meu portfólio é o da "venezuelização" do Brasil, com um calote por parte do governo brasileiro na dívida pública interna para os detentores do Tesouro Direto.

Esse risco é real. Apesar das taxas declinantes, praticamente nada está sendo feito para corrigir a trajetória da dívida pública, notadamente os esforços para limitar os déficits, que são o principal fator para controle da dívida, junto com crescimento do PIB e valor da SELIC.

Projeções estimam a dívida pública bruta alcançando cerca de 90% do PIB já em 2020, em que mesmo com uma selic de 8% seriam em média 7,2% do PIB gastos anualmente só com os juros da dívida, num país sem nenhuma perspectiva de executar superavits primários significativos. O Teto dos Gastos é um belo engodo pois em 2020 os gastos obrigatórios já superarão o teto, levando o valor das despesas discricionárias ao campo negativo, o que é impossível.

Nesse cenário escroto o governo terá poucas coisas a fazer. Lula já deu a receita dele: aumentar o gasto público naquele velho desenvolvimentismo que afundou o país nessa década. Bolsonaro nada entende de economia, mas já deu vários sinais de medidas nacionalistas prejudiciais ao país e proteção às velhas mamatas do curral eleitoral dele dos militares, etc. O esquerdista social-democrata Dória parece a escolha menos pior, mas duvido que ele tenha bala na agulha pra diminuir de forma significativa os gastos públicos.

Uma alternativa real é o bom e velho aumento da base monetária (inflação), que dizimaria quem possuísse títulos atrelados à SELIC e principalmente os prefixados. Quem possuir NTNBs estará protegido, mas terá sua rentabilidade diminuída por conta do IR.

O cenário que realmente me afetaria, portanto, seria não um cenário inflacionário, mas num calote do governo em parte ou na totalidade da sua dívida interna. Tal cenário é sem dúvida catastrófico para o país, pois implicaria na falência de boa parte dos bancos, fundos de pensão, previdências privadas e até de empresas.

Usando termos financeiros, portanto, eu preciso diversificar meu risco soberano. Ações e principalmente imóveis seriam ativos melhores que renda fixa, mas ainda assim sofreriam violentamente como foram o caso da Venezuela e Grécia.

Felizmente, meus gastos hoje são uma pequena parte do meu portfólio (TSR de 1,6-1,7%), mas num cenário de calote do TD, com sua inevitável desvalorização que suponho em algo como 80% e calote de 100% dos meus títulos privados bem como falência do FGC, eu teria pouco mais de R$400.000,00 mais meus Bitcoins, que apesar de hoje valerem ~R$500.000,00 são um ativo com volatilidade extrema e sem nenhuma indicação de sustentar um portfólio, enfim teria R$900.000,00 para retiradas de R$6.000,00, o que dá uma TSR impossível de 8% a.a. Mesmo apertando os gastos, teria gastos mínimos de R$4.000,00 com uma TSR de 5,4% e uma qualidade de vida fracassada.

Não vejo sentindo, portanto, em continuar a investir um real de dinheiro novo no Brasil, pois esse dinheiro em nada mitiga o único risco que eu corro. A alternativa clara é investir no exterior. O mundo está se fodendo se o Brasil macacar e um dólar ou um iene continuará valendo o mesmo se o Brasil falir.

Vou colocar aqui de forma bem resumida qual será então minha estratégia para investimento no exterior.

O investimento internacional implica nos seguintes passos:

1 - Câmbio entre real e moeda estrangeira
2 - Envio da moeda estrangeira pra corretora
3 - Investimento de acordo com alocação de ativos

Passo 1: O Câmbio

Após uma análise bem longa, o método mais barato que encontrei foi a criação de conta no Banco do Brasil e posterior criação de conta do BBAmericas. O custo recorrente disso é R$0,00 numa conta de serviços essenciais do BB, U$15,00 para tarifa de manutenção mensal do BBAmericas e 0,38% de IOF + 0,5-0,7% de spread para a operação de câmbio. Com aportes de R$10.000,00 isso implica num custo mensal de ~R$150,00. A segunda alternativa seria envio direto via o site remessaonline.com com um custo de 1,8%, ou R$180,00 por mês. Quanto maior o valor investido, maior o benefício do BBAmericas. Como minha expectativa é investir cerca de R$20.000,00 por mês (R$10.000,00 dos cupons do TD e R$10.000,00 de dinheiro novo) a vantagem do BBAmericas fica óbvia.

A idéia também é deixar U$10.000,00 investidos num CD no BB Americas com o intuito de não pagar a tarifa mensal, que dá um yield de 3,55% que é maravilhoso pra algo sem risco em dólar. O custo ainda existirá na forma de custo de oportunidade desse dinheiro no TD.

Passo 2: Envio para a corretora.

A corretora com melhor custo benefício pela minha pesquisa é a Interactive Brokers (IB), com tarifa de manutenção mensal de U$10,00 que serve de consumação pra corretagens. Essa tarifa inclusive é anulada para clientes com valores acima de U$100.000,00, valor esse que pretendo alcançar o quanto antes. A transferência será feita gratuitamente via ACH da conta do BBAmericas para a IB.

Passo 3: O Investimento

Se essa parte estiver complexa para o leitor, favor tirar suas dúvidas nos comentários!

Como expliquei acima, o risco da venezuelização é real. No entanto, se você me perguntar qual a chance do Brasil dar calote na dívida interna para os detentores pessoa física do tesouro direto nos próximos 30 anos eu estimo em 5-10%. Ou seja, provavelmente esse dinheiro que eu vou investir eu nunca irei precisar. No entanto, se eu precisar é bom que ele esteja lá e que possua um mínimo de crescimento para suportar meus gastos. Diante da minha necessidade, vontade e capacidade de correr risco em moeda estrangeira, bem como a perspectiva de não precisar desse valor nas próximas décadas, estimei minha alocação de ativos em 80% em renda variável e 20% em renda fixa. A alocação em renda fixa é fundamental para consumo inicial dela em caso de queda nas ações justamente quando eu precisar dos valores.

Inicialmente, é totalmente óbvio que o pequeno investidor deve investir exclusivamente em fundos passivos. A evidência a favor do investimento passivo vs investimento ativo é gigantesca a tal ponto que não preciso ficar batendo no cachorro morto da atividade pela enésima vez.

Outro fator pra lá de óbvio é que, como NRA (Non Resident Alien), não faz nenhum sentido ter qualquer ação individual ou ETF que distribua dividendo, devido ao pesadíssimo imposto de 30% que os EUA retém na fonte nas distribuições. A solução é a compra de fundos europeus de acumulação (não existe fundo americano de acumulação por questões legais), que reinvestem os dividendos recebidos no próprio fundo, sem qualquer fato gerador de tributo por parte do investidor.

Além disso, um investimento global faz todo o sentido. Com as altas dos últimos anos, os EUA estão com valuation nas alturas, com um PL de 26 e CAPE de 30. Existe evidência de uma correlação moderada e invertida entre retornos futuros e CAPE/10 (cerca de 0.3-0,.4), portanto a perspectiva de retorno para os próximos 10-20 anos nos EUA é péssima. Diante disso faz sentido investir no mínimo pela capitalização global, em que pese os EUA sozinhos deterem ~50% de capitalização.

Por outro lado, os mercados emergentes, além de possuírem CAPEs mais baixos por serem inerentemente mais arriscados, tiveram retornos abismais nos últimos 10 anos, o que indica uma chance elevada de altos retornos para a próxima década. Seguindo puramente pela capitalização dos ativos, eu deveria portanto fazer um split de 70% Developed e 10% EM (Emerging Markets). Por conta puramente do valuation, irei fazer um pequeno tilt de 60% Developed e 20% EM.

Quem acompanha a literatura financeira internacional moderna (ninguém), verá que tem muita coisa escrita sobre Smart Beta, com a inclusão de outros fatores de risco além do tamanho e valor que já discuti aqui, como momentum, qualidade e baixa volatilidade. O prêmio anual, apesar da volatilidade, varia entre 3 a 5% a.a. para cada um desses fatores, com alguma variação de país pra país, efeitos pós publicação dos fatores, etc., conforme descrito magistralmente por Swedroe no livro Your Complete Guide to Factor-Based Investing lançado ano passado.

Diante da evidência massiva, persistente e mundial a favor da existência desses fatores, investir em fundos que tentem capturar esses fatores ou ao menos limitem a exposição negativa deles é desejável. (parando pra pensar, meu portfolio de ações em 2011-2012 por exemplo tinha um fator momentum negativo extremamente elevado).

Após uma longa pesquisa,  o ETF que escolhi para investir os 60% em ações de países desenvolvidos foi o IFSW (iShares MSCI World Multifactor UCITS ETF). O ETF segue o index MSCI World Diversified Multiple-Factor Index, que investe em ações que possuam o máximo possível de 4 fatores: Tamanho, Valor, Momentum e Qualidade, com peso igual para cada um (25%). O lado negativo desse ETF é o custo extremamente elevado de 0,5% a.a. Ou seja, estou "pagando pra ver" que o retorno dos fatores vão me pagar acima de 0,5% a.a. frente a um fundo comum. A outra alternativa é o excelente SWDA, igualmente global e com custo de apenas 0,2% a.a., mas sem exposição aos fatores.

Para EM, a coisa se complica. Não existe nenhum fundo de acumulação multifatorial de acumulação. Temos o QEMM, mas distribui dividendos (facada do tio sam). Por outro lado, temos o EMMV, que é um ETF que investe em EM com load em ativos de baixa volatilidade, que cai como uma luva para o meu portfólio que sempre apreciará o mínimo de variância. O custo é elevado (0,4%), mas apenas 0,15% a.a. maior que o ETF mais barato (EIMI), com volatilidade 22% menor e, penso eu junto com toda a literatura sobre o tema, no mínimo a mesma expectativa de retorno.

Já os bonds são bem mais simples. Os fatores de riscos são amplamente conhecidos há decadas, e como procuro solidez não tem muito o que inventar. O ETF LQDA parece ideal pra isso, ao investir exclusivamente em bonds de empresas com investment grade com duração intermediária (8 anos) e um custo razoável (0.20% a.a.), com yield 3,25% a.a., o que dá um prêmio de risco por crédito de 1,2% a.a. e de prazo de 1,1% quando comparada a t-bill de 1 mês do governo americano que paga 1% a.a. Ou seja, prevendo uma inflação do dólar de 2% a.a.  e sem mudança no yield terei um retorno real de 1% a.a., bem diferente dos 5% brutos que conseguimos trivialmente investindo em títulos do governo.

Vale notar que a expectativa de retorno de cada fator depende do load que o ETF possui em cada fator. O IFSW, por exemplo, possui apenas 0.07 em momentum e 0.27 em qualidade. Isso é normal, pois é impossível um único fundo possuir 100% dos loads e capturar o premium em sua totalidade que não seja o beta.

A idéia é aportar todo dinheiro novo nessa alocação de ativos (60% IFSW, 20% EMMV, 20% LQDA) até alcançar ~R$1.000.000,00, o que deve demorar um bom tempo. A depender do preço que o bitcoin chegar eu posso vender uma parte deles pra investir lá fora, bem como com o vencimento paulatino dos CDBs que possuo a depender da situação que esteja aqui e no exterior.

Essa é sem dúvida uma nova etapa no meu portfolio que vejo como um caminho natural dado o valor que alcancei, e espero ao longo dos anos poder colher bons frutos (e bons sonhos) desse investimento!

141 comentários:

  1. Boa sorte na nova etapa. É um post denso, vou dar um tempo pra digerir melhor o Passo 3.

    Mas, assim por alto, qual sua opinião sobre simplesmente ter uma mala cheia de dólares e ouro físico pra ocasião de um 'apocalipse'?

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ter apenas dólares é ter perda fixa de 2% a.a., existem opções melhores. Ouro é acompanhar a inflação com muita volatilidade.

      Excluir
  2. Oi VR! Estava ansioso por este post e realmente achei excelente. Algumas dúvidas:

    - Por que não diversificar também no ETFs? Escolher 3 ou 4 de Developed e EM.

    - Vi que os ETFs mencionados são em dólar. Não pensa em diversificar a moeda? Principalmente considerando o louco do Trump.

    - No site do Investidor Internacional ele recomenda deixar a conta internacional fora dos EUA, por ser um pais devedor liquido internacionalmente. O que acha disso?

    No mais, parabéns pelo sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1- Simplicidade, além de que com os 2 fundos tenho abrangência global.

      2- É irrelevante estar em dólar ou euro, mas sim a moeda dos ativos subjacentes, então vou estar exposto a dolar, euro, yuan, iene, etc.

      3- Não tenho a mínima idéia da razão disso, não vejo problema em ter conta americana.

      Excluir
    2. Bem, eu acharia melhor diversificar se o dólar se fosse a comunista Hillary.

      Excluir
    3. Putz, agora a Hillary é comunista? Em que mundo esse povo vive, GOD!

      Excluir
    4. Para entender Hillary, você precisa conhecer o mentor intelectual dela, Saul Allinsky:

      https://youtu.be/aLBm5SndEo4

      Ah, você entenderá muito do partidos esquerdistas brasileiros também.

      Abçs!

      Excluir
  3. VR,

    Sua alocação não contempla nada em ações pagadoras de dividendos no Brasil? Se ficarmos apenas em uma argentinização e não uma autêntica venezuelização, suponho que a perda dos valores investidos em empresas brasileiras será consideravelmente menor que a perda em títulos do governo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ficar na argentinização eu estou tranquilo com as ntnbs, com a venezuelização as pagadoras de dividendos vão se ferrar junto com minhas ntnbs, até porque algumas dessas empresas podem ser estatizadas.

      Excluir
    2. acho isso muito difícil de acontecer

      Excluir
  4. Caro VR,

    Pelo seu post entendi que irá investir em ETFs acumuladores sediados na Irlanda, correto?
    O que continua me assmbrando é o fato de não ter, até agora, obtido uma resposta conclusiva se os ETFs comprados pela IB em mercados fora dos EUA são ou não custodiados nos EUA.
    Abraço,
    Data160

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Data160,

      https://www.interactivebrokers.co.uk/en/home.php

      Troque 6 por meia dúzia :D

      Abraços,
      Cabeça

      Excluir
    2. Eu respondi sua msg, e a resposta é que você não paga estate tax com fundos domiciliados na irlanda.

      Excluir
  5. VR,

    Atente para o baixo volume de negociação dos ETFs IFSW e EMV. Acho que poder ser difícil executar ordens neles. Enquanto o IDWA e o EMMI são gigantes, com alto volume diário.

    O BB Portugal é bem mais barato que o BB Américas. BB Portugal + Interactive Brokers UK são uma boa combinação também.

    Veja um post que publiquei ontem sobre remessas via bitcoins. Casa como uma luva para você. Talvez você consiga enviar diretamente da Lykke para a IB.uk

    Abraços,
    Cabeça

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cabeça,

      Eu acompanhei o volume e imagino que é suficiente pra executar ordens sim. O caso mais grave é do IFSW, mas com paciência creio que dá pra executar as ordens sem maiores problemas, EMMV já tem uma liquidez bem maior e LQDA é super líquido.

      Eu não vi opção de criar conta no BB Portugal por aqui, onde que eu encontro isso?

      Eu vi sua postagem, conhecia o N26 mas não o Lykke. O complicado dessa operação é que estaria a mercê do ágio da cotação do bitcoin aqui no Brasil, além de fintechs que podem sumir ou - mais provável - mudarem a precificação, pois a lykke pelo que vi roda totalmente sem cobrar nada, o que imagino não ser factível no longo prazo. A exposição a volatilidade do btc acaba sendo pouca, de comprar aqui até enviar pra lykke e vender, mas como é um ativo super volatil acabo me expondo a um risco sem necessidade podendo levar um preju considerável e confiar na valorização do bitcoin é no mínimo temerário pra uma operação que não deveria envolver isso. O que acho que pode ser interessante é fazer essa operação quando tivermos ágio negativo e mandar direto pro BBAmericas, dá pra ganhar um trocado nisso.

      Mas no dia-a-dia, acho mais importante ter a garantia de uma operação de câmbio me custando apenas 0,7-0,9% e a tranquilidade que são instituições sólidas com muitas décadas de operação e se algo der errado eu ter onde e pra quem reclamar sem maiores problemas. Nesse seu esquema eu posso muito bem ficar semanas ou meses a fio esperando o ágio cair pra poder mandar meu dinheiro pra fora, até porque a tendência é ter ágio aqui em btc e não deságio.

      Apesar disso, são boas alternativas sem dúvidas, obrigado pelo post!

      Abs.,

      VR.

      Excluir
    2. Veja:

      http://www.bb.com.br/portalbb/home2,7815,7815,0,0,1,0.bb

      Não tentei pessoalmente, mas li relatos de pessoas que abriram contas com seus gerentes locais, do mesmo jeito do BB Américas.

      No final de 2016, a Lykke já tinha 11.000 clientes em 135 países.

      Veja o roadmap deles:

      https://trello.com/b/IV0PH2gs/lykke-roadmap

      Você tem a opção de converter uma parte dos seus bitcoins já acumulados, em poucos minutos se tornariam euros ou dólares.

      Abraços,
      Cabeça

      Excluir
    3. Olá Cabeca de Bogle, vi em seu blog que utiliza a corretora DeGiro com o banco N26. Saberia informar se o banco LeuPay poderia ser utilizado com a DeGiro?

      Excluir
    4. Não vi opção de fazer a conta daqui do Brasil, Cabeça.

      Bem, enquanto tiver ativo pretendo usar o Lykke tendo oportunidade de deságio, obrigado pela dica!

      Excluir
    5. O N26 tem licença bancária. O IBAN da LeuPay é de Malta, mas não é propriamente um banco. Não tenho certeza. Escreva para clientes@degiro.pt em português mesmo, que rapidamente eles vão esclarecer.

      Excluir
    6. Não aceita, entrei em contato e responderam. O banco BiG não aparece mais no site a opção para não residentes. Estou inclinado para o Banco Best ou Banco Millenium que dá a opção de abrir em algum escritório no Brasil.

      Excluir
  6. VDR, você tem seguro de vida, qual a sua opinião a respeito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não e é irrelevante pra quem não tem filhos e/ou já tem um portfólio considerável pra deixar aos rebentos.

      Excluir
    2. Seguro de vida e invalidez. Uma invalidez pode minar boa parte das reservas (tratamentos caros internacionais). É um risco

      Excluir
  7. VR,

    Ao ler este post fiquei pensando e tive que fazer meu primeiro comentário aqui no blog:

    Se a dívida interna brasileira comparada com o PIB for motivo para venezuelar o Brasil, a dívida interna americana já é maior que o PIB. O que impede os EUA de venezuelar?

    Eu sei que é uma pergunta fora do foco do blog.

    Obrigado pelos posts, estou sempre de olho(apesar de ser de TI e ter muuita dificuldade de entender várias coisas.. rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anon,

      O critério não é unicamente a relação dívida/pib, se fosse assim japão já estaria falido há muito tempo.

      O problema é que o Brasil junta economia com retração (crescimento real de pib negativo) sem grandes perspectivas de crescimento por conta dos entraves que todos conhecemos (cultura de corrupção, tributação, estatismo, etc.), juros elevados (rendimentos reais de 3-5% a.a.), déficits primários de 2-3% do PIB e após juros de 10-12% e relação divida/pib em trajetória explosiva. Os EUA tem relação dívida/pib alta, deficits nominais de 2-3% (comparados aos 8-10% brasileiros), maior economia do mundo e em crescimento e um histórico de nunca ter dado calote desde a sua independência em 1776, então são situações totalmente diferentes. Eu não acho que a situação dos EUA ou do Japão são tranquilas, aliás esse endividamento excessivo pra sustentar estados de bem estar social inflados serão vistos como o grande mal econômico do século XXI, pois são inerentemente insustentáveis no longuíssimo prazo.

      Excluir
  8. Acredito na filosofia bogliana que ao investir em total market americano já está diversificando globalmente já que a maioria das empresas americanas possuem receita em muitos outros países e moedas.
    Minha carteira atual é 50% ITOT Total market, 10% IJR, 10% IJH, 15% MUB (non NRA) e 15% IUSB total bond.
    Se te ajudar em alguma ideia já vale o comment

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas esses titulos sao sediados nos EUA e distribuem dividendos?

      Excluir
    2. Taí um ponto que eu discordo do bogle, na verdade uma manifestação do home bias ou até mesmo recency bias dele. Não tem como achar que ter coca-cola substitui ter ações em países que a coca-cola atue.

      Excluir
    3. Por que não? Nao precisa substituir mas sim ter uma boa diversificação e exposição multi mercado.
      Sim Frugal, como Resident Alien não me retem os 30% mas sim o meu IRS braket.

      Excluir
  9. Olá vr.
    Assim como todos os blogs que discutem a remessa abroad de recursos, você também não detalha como irá resgatar esse dinheiro quando precisar, qual é o custo de repatriacao, caso seja seu caso, ou se vai utilizar por lá, em viagem ou em cartão de crédito.... Com uma pesquisa tão detalhada, tenho convicção de que você já tenha informações sobre o caminho inverso.
    Um abraço
    Leandro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente pergunta...ia perguntar isso tbm...

      Excluir
    2. Mais um para fazer coro. O post está excelente, mas faltou falar de quando for de fato precisar do dinheiro.

      Excluir
    3. A idéia é não retirar o dinheiro nunca. Se precisar pode vender um pouco lá sim, mas dá pra fazer o caminho inverso, manda da IB para o BBAmericas e depois para o BB. Mas também tem o cartão de débito ou crédito do BBAmericas que dá pra fazer saques no Brasil e no mundo, além de poder fazer compras com o cartão de crédito.

      Excluir
    4. Frugal...
      Não sei se foi figura de linguagem, mas não faz sentido não tirar nunca....
      Obrigado pela resposta. Parece fácil usá-lo por lá. E os custos de mandar do bba pro BB? Tem Ir na repatriacao? Algum custo extra?
      Leandro

      Excluir
    5. É trivial isso, pode-se vender até 35k por mês sem tributação, daí é usar o cartão de débito e/ou de crédito oferecido pelo BBA ou até mesmo fazer o câmbio pra real novamente.

      Excluir
    6. Frugal simple é o mesmo Viver de Renda? FS responde tudo por ele...
      Pode explicar melhor estes 35k ai VR pf?

      Excluir
    7. Anon Frugal é um grande amigo que frequenta meu blog assim como frequento o dele, nada demais.

      Sobre os 35k só ler a legislação daqui, isenção pra ativos no exterior.

      Excluir
  10. VR, vc ja abriu a conta no bb americas?

    Ja fiz todo o passo a passo, mas quando estava finalizando, a atendente me informou que haveria cobrança de 10 dolares por transferencia do bb e que a transferencia do bb estava limitada a 4 ordens de 3k por mes. Acabei decidindo nao abrir a conta... mas, muitos que tem conta la, falaram que não pagam essa taxa. Vc ja se informou sobre isto?

    Outra coisa que ja comentaram, fique atento no volume dos etfs... atualmente estou investindo em 3: iwda, eimi e cssx5, decidi com base na TER / volume.

    Abs e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. To em processo de abertura, esperando eles darem o OK pra enviar os documentos, pelo que li e experiência dos colegas não tem taxa, só o spread de 0,7-0,8% já incluso IOF, o limite é pra remessa via internet, na agencia nao tem limite.

      Excluir
  11. VR, vc é meu pastor e nada me faltará. Não sei pq ainda dou dinheiro para a empiricus. Como noobie, estou comprando o Vanguard VTI pela Drivewealth via remessa online. E ainda tava achando bom negócio. Meu foco é mais fazer o hedge cambial para me proteger do futuro sombrio que se aproxima neste país, mas depois dessa aula, vou rever minhas estratégias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, tá deixando dinheiro na mesa. Obrigado!

      Excluir
  12. As vezes sinto falta de postagem de qualidade como essa sua. A blosfera caiu um pouco de qualidade quanto aos conteúdos e discussões nos últimos anos. Parabéns pela estratégia, pela pesquisa e por dividir com os outros seus planos.
    Desejo-lhe sucesso e se possível continuei compartilhando suas ideias e conhecimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    2. Esse não é nem o ponto da crítica a blogosfera. 99,99% estão all in Brasil, poucos tem mais de 1KK, não podemos exigir muito, ora bolas.

      O VdR está nesse nível por causa do tamanho do patrimônio. Informação desse tipo realmente não encontramos por aí. O VdR é um "super rich".

      Faço coro, cadê os seus posts de qualidade?

      Excluir
    3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    4. Abra o jogo Anon, mostre as cartas, você tem pelo menos 50k na conta?

      Pare de haterismo. Ninguém aqui tem 16 anos, já passamos da puberdade.

      Excluir
    5. Também publiquei sobre isso no meu blog pessoal. Assim tambem como o cabeça de Bogle.

      Excluir
    6. Qualidade caiu muito, de fato. Vem outro post ainda esse mês sobre TSR.

      Excluir
  13. Maestro pifador, enganche do imortal tricolor! 0 10 do Olímpico.

    ResponderExcluir
  14. VR, boa sorte nessa nova empreitada!
    Uma dúvida me surgiu, vc sabe como é tributação de herança nos EUA? Como vc prende atenuar isso? Pois é um risco que não controlamos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É algo que realmente não me interessa, mas tudo o que li indica que não tem estate tax pra etfs domiciliados na irlanda.

      Excluir
  15. Grande VdR,

    Já deu uma pincelada no CBE Anual - Capitais brasileiros no exterior? Prepare-se.

    Esses "hijos de puta", me levaram uma grana com uma multa. Quando entrei em contato me trataram como um bandido. Depois da paulada, contratei um serviço especializado. Olha que não tenho essa bala toda, gira em torno de 2KK de doletas + casa.

    Se ficar nisso que você mencionou, vai ser "tranquilo". Para mim é mais complicado porque também tenho umas posições no mercado de derivativos.

    Falou. Qualquer coisa estamos por aí, depois te mando um email com um grupo de wpp, com uma galera gente fina que tem grana na gringa. Isso se tiver interesse é claro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tava totalmente por fora desse CBE anon, achei que era declarar no IRPF e pronto. Que merda viu, mais uma burocracia. Valeu pela dica!

      Excluir
    2. Pelo que vi no site.. esse CBE é para quem tem mais de 100 mil dolares no último dia do ano

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  16. VR, no fork do bitcoin cada BTC gerou um BCC. E o BCC está na casa dos 300$ cada. Pretende ficar com eles ou vende-los?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade já vendi os que tinha a 0,1 btc cada.

      Excluir
  17. Investidor ninja

    Owwwww VR, estava com saudades dos seus POSTs.
    Primeiramente, muito obrigado por sempre nos ajudar e compartilhar os seus conhecimentos, acompanho o seu blog desde o inicio e você ajudou a mudar a minha vida.

    Uma dúvida. Achei a estratégia que você vai usar é bem técnica e tem vários detalhes que somente uma pessoa do setor financeiro ou grande conhecedor de finanças sabe.

    Eu li todos os livros que você indicou no seu blog e estudo o mercado financeiro, mas não conheço nada do mercado internacional, você tem alguma indicação de estudo?
    Sites, canal do youtube, videos, livros, etc?

    Valeu abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Não sou o VR, mas me permita algumas observações.
      a) Não tem nada muito técnico não, é que realmente no Brasil não há muita coisa a respeito. O que o VR fez foi simplesmente investir via ETF, e colocou uma parte muito mais significativa em Equity, o que faz todo sentido pelo prêmio do fator mercado (o famoso ERP). Nessa porção do patrimônio, ele resolveu ter um TILT para fatores. A coisa anda tão fácil hoje em dia, que se pode investir com TILT de alguns fatores via ETF.
      Ele poderia incluir outros ativos como Real Estate, Ouro, outros fatores, mas ele resolveu deixar a alocação dele bem simples.

      b) Se você consegue entender Inglês, escute os podcast do Meb Faber: http://mebfaber.com/podcast/. Veja os links no final, e estude (estou partindo do pressuposto que você não leu nenhum dos clássicos financeiros escritos em língua inglesa). Foi num desses podcast que indiquei para o VR que o Meb entrevista o Swedroe, e ele trata especificamente quase o programa inteiro sobre fatores. Aliás, uma parte interessante é quando ele diz que dividendos são uma medida inútil, não por causa da bobagem que o Bastter fala, mas simplesmente porque dividendos são um meio ineficiente da companhia, do ponto de vista tributário, distribuir os lucros para os acionistas. Faz muito mais sentido a realização de Buyback (aliás, o aumento expressivo de Buyback é uma das razões do aumento do EPS- Earnings per share do S$P500 por exemplo, mesmo com uma queda do payout). Dividendos só fazem sentido no Brasil que não são taxados, mas isso deve mudar nos próximos anos.

      Sugiro (ele é entrevistado também pelo MEB), você ler todo o material do Cresmont : https://www.crestmontresearch.com/books/

      Assista a série de seis vídeos, é excelente, muito bom mesmo, ainda mais para um material gratuito

      Abs

      Excluir
    2. O grande Soul já respondeu por mim!

      Excluir
    3. Dividendos inútil? É a melhor remuneração para o investidor, que lhe gera tempo (o patrimônio continua e você obtém remuneração, pra poder reinvestir no que quiser ou então consumi-lo como quiser). Muita ciência por trás, como vcs fazem, podem tirar o sentido dos investimentos (facilitar a vida das pessoas).

      Excluir
    4. Valeu soul,

      Não sabia que o Faber tinha podcast.

      Acompanho um monte e logo o dele, cujos livros tenho vários, não acompanhava.

      Abçs!

      Excluir
    5. Leonardo,

      Estamos falando de dividendos como indicador pra fator de risco e não em geral. Dividendos podem cair justamente nos momentos que você mais precisa dele, como foi o caso de 2008-2009 nos EUA e aqui.

      Excluir
  18. Vdr, excelente post e obrigado por compartilhar. Quanto ao tema, acho muito pouco provável calote da dívida interna dos meros mortais pessoa física do Brasil, pelo simples fato de terem baixa representatividade da dívida soberana. Mesmo que ela cresça, o governo pode emitir dinheiro que, lógico, geraria inflação, mas você está bem posicionado nas ntnbs o que significa baixo impacto/risco. Maaass, levando em conta seu raciocínio que prevê risco em torno de 5 a 10% de calote nos próximos 30 anos, não seria melhor "pagar pra ver" e nesse horizonte de tempo potencializar seu patrimônio com altos yelds por aqui ao invés de simplesmente formar um colchão de segurança com dinheiro no exterior pagando inflação + 1~2% aa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom raciocínio. Também sou da mesma opinião. Mercado americado retorno de RF é menor que inflação de lá e yields estao muito baixos agora e PL absurdo. Ai vc vive no Brasil com a inflaçao aqui (que pode ir pra lua) investindo lá? nao faz muito sentido mas...dolar subiria..sim mas qdo a inflacao bater 30% dolar cobrirá isso? sei nao

      Excluir
    2. Adiciono ao seu comentário que, na minha visão, a estratégia faria sentido se for para morar fora no futuro. Daí você protege parte do patrimônio da inflação tupiniquim. Porém, pelos planos do vdr, não faz muito sentido.

      Excluir
    3. Unknown,
      O que pode acontecer ou não ao Brasil em relação aos investimentos se nada for feito do ponto de vista fiscal é um grande mistério.
      Em caso de default da dívida, por qual motivo apenas os detentores pessoas físicas seriam poupados?
      Além do mais, como boa parte das despesas são indexadas à inflação, se o ajuste viesse com inflação ela poderia ser grande. Basta uma inflação extremamente alta (algo como 20-30%aa) e um aumento de IR para 35% (como já cogitado pelo governo, e para mim a probabilidade disso ocorrer é imensa nos próximos anos) e pronto, em alguns anos os títulos do governo teriam perdas reais muito grandes.
      Creio que ele já está pagando para ver, colega. Ele vai direcionar novos aportes e os novos cupons para o patrimônio no exterior, ele não irá migrar todo o dinheiro dele para o exterior. Está absolutamente correto na estratégia dele.
      Se ele já tem uma renda suficiente em reais para manter o padrão de vida que ele deseja com folga, qual é o sentido de adicionar mais patrimônio para gerar mais renda se o único risco que ele corre é a deterioração do país?

      Outra coisa é que as inflações são diferentes. Se as moedas mantem o poder de compra entre elas no médio-longo prazo (coisa que elas fazem), um retorno nominal em reais maior pode ser apenas uma ilusão, se levarmos em conta inflações muito menores nos EUA e na Europa em comparação com o Brasil.

      Anônimo1,
      Ora, por isso mesmo que faz sentido alocar em outros mercados que não estejam tão esticados em valuation. O mercado americano não é o único, longe disso.
      Austrália está com um CAPE parecido com médias históricas de 18-19, Noruega está com CAPE bem baixo, alguns países desenvolvidos da EUROPA com CAPE alto mas pouco acima de médias históricas.
      Assim, faz todo sentido no começo ter um tilt um pouco maior para outros mercados.

      Abs

      Excluir
    4. obs: Sem falar em Hong Kong ou Cingapura, eu acho que Cingapura está com um CAPE de 13-14. Tem REIT bom em HK e em Singapura (isentos de tributação na fonte, se investido por meio de uma offshore num país com tratamento tributário isento para rendimentos no exterior) pagando yield de 6% em moeda forte. Há ainda muitas opções de investimento no exterior com preços razoáveis.

      Excluir
    5. O problema anon é que o wipeout pode ser gigantesco, numa convulsão da sociedade/estado eu vou querer é sair daqui, numa situação dessas dólar vale ouro e ntnb vira um numero no computador que nao vale nada, infelizmente. Se esse fosse um país sério nem estaríamos discutindo isso, mas obviamente não é esse o caso.

      Excluir
  19. e aí VdR, acho até surpreendente vc nao ter feito isso antes. Qual alocação vc tem em mente entre Brasil e exterior ? Eu estou posicionado 90/10. Boa sorte nos investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como falei no post pretendo ter no mínimo R$1mi lá fora.

      Excluir
    2. ok, entao se vc te 4M aqui e manda 1M pra lá, fica 25% lá e 75% aqui. valeu.

      Excluir
  20. Tenho um fornecedor no exterior que realizo o pagamento através de Transferwise.

    Já fiz envio de dinheiro para um amigo no canada tbm através desse site.

    Boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Transferwise parece ser razoavelmente mais caro que o BBA.

      Excluir
  21. VdR, pq não simplificou com um fundo da Vanguard?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E porque você acha que o que ele fez é complexo?

      Isso é arroz com feijão para quem estudou um pouco. Um Anon acima fez referência, esse CBE anual é uma porcaria mesmo.

      Excluir
    2. Acho que 3 fundos já está simples o suficiente, além disso vanguard não tem fundos de acumulação multifatoriais, e quase nada de acumulação via Vanguard UK tb.

      Excluir
  22. VdR,

    Vc tem algum tipo de plano/estratégia, para um cenário apocalíptico onde não seja possível retirar dinheiro dos investimentos por algum bloqueio do governo ou algo parecido?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É justamente o plano que coloquei no post, ativos estarão nos EUA então é outra jurisdição e o governo nada pode fazer a respeito.

      Excluir
    2. Certo, mas eu me referi a um nível ainda mais baixo, por exemplo na Venezuela por mais que vc tenha dinheiro no bolso em alguns casos não há o q comprar no mercado as prateleiras estão vazias.

      A meses atrás tivemos um exemplo de "crise" no espírito santo com a greve da polícia, foi por um período curto mas e se durasse mais tempo? Vc tem alguma preparação nesse sentido?

      Excluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VR, me add aí no seu blogroll.
      Excelente post, pretendo em breve escrever um post exatamente sobre este tema. Já estou pesquisando a melhor opção de abrir a conta. Pelo visto, será como offshore.

      Coisas que me perguntei e achei (acho) muito importante para abrir a conta lá fora:

      1- Benefício tributário: somente na conta Offshore. Fugir LEGALMENTE da tributação é fundamental!
      2- Segurança em caso de falecimento para minha família ter acesso ao dinheiro: offshore, mais uma vez. A conta de PF exige inventário.
      3- Ter um cartão de crédito para usar lá fora e usufruir desta grana quando necessário (isso é possível e seria contabilizado como "diminuição de cotas do fundo", não seria como "recebimento e gasto de dividendos da empresa").
      A desvantagem fica na despesa para abrir e manter a conta Offshore, mas pra mim vai valer a pena.

      Depois, a etapa seguinte é onde abrir a conta Offshore:
      3- Descobrir um paraíso fiscal que não tribute dividendos recebidos de países como Cingapura e Hong Kong, que não tributam dividendos na origem. Ilhas Virgens? Belize? Cayman?

      Finalmente, a última etapa que é em qual ativo aplicar. Procuro ETF de REITS com dividendos acima de 6% e eles existem ( já diversifico de cara em um só produto, tanto no número de países quanto no de imóveis contidos no ETF), ou algo em Renda Fixa pagando acima de 4% ao ano (isso, terei que procurar), ou como vc citou os fundos europeus que já reaplicam os dividendos.

      Banânia seguirá Banânia por um bom tempo. Meu medo no momento é tomar um violino e perder dinheiro com o càmbio, numa eventual queda do dólar para 2,50 / 2,80 reais. Loucura minha? Não, tudo é possível. Se nossa economia se estabilizar e o fantasma do PT for afastado da presidência do Brasil (SE DEUS QUISER) até 2018, teremos uma enxurrada de dólares entrando aqui. Isso levará o preço para baixo na marra.
      Mas também decidi que vou ter uma conta lá fora. Este país cheio de comunas e esquerdinhas caviar, com a previdência falida e os corruptos no poder (só pensam em aumentar impostos) ainda vai nos trazer muita amargura.

      Excluir
    2. Em tempo: não pretendo repatriar NADA, este dinheiro é para minha família usar no exterior (hoje, uma certeza nossa) quando nos mudarmos daqui. Quero "perder" o mínimo possível com taxas e imposto de renda, é essa "costura" que estou procurando pois não pretendo usar este dinheiro antes de 5 anos.

      Excluir
    3. Basicamente quais os custos de se mater uma offshore e qual seria um patrimonio minimo aplicado fora para valer a pena?

      Excluir
    4. Heavy Metal já estudei muito sobre isso:

      Uma conta offshore no exterior pode ter custos tão baixos como apenas 1000 dolares por ano.

      Lhe recomendo Panamá ou Seychelles para abrir a conta. Depois vc pode mandar da conta PJ para a corretora que vc escolher (eu escolheria a IB também). Tem que confirmar antes com a IB se ela abriria conta para você de PJ a partir desses países.

      Outra opção é o Euro Pacific Bank em San Vicent e Granadines, é o banco do Peter Schiffer, bem sólido por sinal, e eles usam a corretora do Saxo Bank que é boa e é global. Não se preocupe com os custos da offshore, em San Vicent custa 1200 U$ por ano, mixaria, se brincar é mais barato do que uma PJ aqui.

      Em cingapura tem 2 ETFs de REITs que pagam 6% de yield por ano. Acho que cai como uma luva pro que vc perguntou, e já são etfs, então nao precisa ficar estudando esse ou aquele REIT.

      Abraço!

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    6. Correria FC,
      Procurei alguns escritórios de advogados tributaristas no Brasil, facilmente acessíveis pelo Google quando digitamos "conta Offshore".
      Os custos ficam entre 2.500,00 dólares até 1.200,00 dólares para abrir com a ajuda de terceiros e 1.200,00 dólares de média para manutenção.

      Frugal Simple, top!
      Já gostei do cara (Peter Schiff) quando pesquisei no Google e apareceu um vídeo dele: "Central Banks, road to nowhere"... kkkkk

      Site do banco é excelente: https://europacbank.com/
      Valeu a dica, o Investidor Internacional também tem me ajudado muito com dicas por e-mail. Para isso vale a pena estar na Blogsfera.

      Excluir
    7. Ae Heavy, bom ver voce por aqui. O amigo Frugal sabe mais sobre offshore do que eu, e pelos cálculos dele ficam $1-2k anuais pra manter. No meu caso gera uma complexidade e custos desnecessários, pela minha estratégia não vou pagar imposto nenhum limitado a venda de 35k mensais, e terei acesso normal a cartão de débito/crédito em dolar, mas pra fins de sucessão ter uma empresa é muito mais simples.

      Acho essa previsão de dólar caindo e Brasil tranquilo em 2018 muitíssimo improvável de acontecer, a dívida estará bem maior e o risco das eleições vai estar no ápice também.

      Abs.,

      VR.

      Excluir
  24. Não entendi como você vai ganhar os 3.55% no BB Americas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho a mesma pergunta. Esses 10k precisam ficar parados na conta ou no BB voce dispoe de algum fundo para aplicar. No caso 3,55% é o que voce conseguiria de retorno anual em algum investimento?

      Excluir
    2. Seriam $10k aplicados num CD rendendo 1,75% a.a. mais os $15 economizados por mês que totalizando dão esse retorno de 3,55% a.a.

      Excluir
  25. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  26. Agora sim amigo!
    Belo post e tudo vai dar certo.
    Mais uma vez: Você já venceu, pra quê continuar jogando o jogo?

    A primeira vez que vc venceu foi quando trocou todas as acoes nesses titulos pagando ipca + 7,5%. O yield está garantido e acima da sua TSR.

    Vitória número 1.

    Vitória número 2 é a de não ficar exposto aos descalabros da quadrilha brasileira. E essa ninguém pode lhe tirar.

    Investir não é apenas rentabilidade, retornos e etc. Investir também é proteger o seu dinheiro, o seu poder de compra, o seu patrimônio e aqui também entra a blindagem patrimonial e a fuga das canetadas dos burocratas e do judiciário brasileiro. Principalmente pra vc que já viu o bolo crescer e dar muitos frutos, não adianta mais ver o bolo crescer aqui dentro.

    O Brasil não tem capital humano (ainda) para eleger um bom congresso ou presidente ou fazer uma reforma política e fiscal que dê jeito. Aqui só se apaga incêndio.

    Fora que os dólares lá fora já são o seu "fundo de fuga". Digo, conheci alguns venezuelanos nos EUA, os poucos que conseguiram fugir já tinham dolares nos EUA há muito tempo. Não adianta querer comprar dólar no olho do furacão pois é impossível. Hoje na Venezuela é impossível comprar dolar.

    Pra não ir longe, a Kristina argentina, taxou em 18% o dolar há menos de 5 anos atrás, já estava dificil os argentino fugirem. A maré virou muito rápido na Venezuela e na Argentina, também pode virar rápido aqui.

    Abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Frugal, você está morando na Inglaterra ou no Brasil?

      Excluir
    2. Perfeito Frugal, agora é tomar as medidas pra garantir que eu saia do jogo garantindo a vitória.

      Excluir
    3. Tou no Brasil ainda Heavy, pelos próximos 4-5 anos ainda estou meio amarrado aqui. Mas essa conta offshore eu quase cheguei a abrir mas segurei um tempo, depois vou abrir com certeza.
      abraço!

      Excluir
  27. Vem aí o VR Hedge Fund: ETFs, Bitcoin, Bonds.

    ResponderExcluir
  28. Apesar de tudo que foi descrito pelo VDR nesse belo post o que acham de fundo que investem no exterior como por exemplo o Pimco income FI?
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou dentro aqui, e estarei também lá fora. Só que os rendimentos serão em dólares.

      Excluir
  29. Olá VR. Essa preocupação de quebra do Brasil eu também tenho. Mas temos que lembrar que o Brasil já quebrou outras vezes (socorrido pelo FMI). Na minha visão estamos melhores hoje. Gostaria de colocar uma questão. Venho recebendo uma propaganda da empíricus sobre uma crise de proporções mundiais muitas vezes pior que a de 2008. Nessa crise haveria bloqueio das contas de corretoras e bancos no mundo inteiro e todos perderiam parte do capital. Você já ouviu falar nisso? Para onde correr? Você nunca pensou em investir em terras para arrendamento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha visão estamos piores, a dívida nunca esteve numa trajetória tão grave assim graças aos déficits primários. Me desculpe, é até um sofisma ad hominem, mas empiricus eu não discuto, eles produzem toneladas de lixo nos "relatórios" diariamente, num clickbait descarado pra fazer você pagar pra eles.

      Excluir
  30. Parabéns pela sua trajetória e pela forma de abordar suas decisões sobre investimentos.

    Como o Frugal anteriormente: "Você venceu, porque precisa continuar no jogo?". Pra quem ainda não conseguiu vencer no jogo, resta apenas proteger o patrimônio do risco da Venezuelização (que não é improvável) de alguma forma. Como eu não tenho essa capacidade de aporte, vou fazer crescer o montante até que os custos de remessas+custodia+impostos compensem para eu migrar para BB Américas + Interactive Brokers.

    Muito sucesso nesta nova fase da sua carteira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Aportador, a idéia é exatamente essa!

      Excluir
    2. Aportador, VR,
      Lendo os dois comentários, e até lendo vários outros de pessoas que também estão pensando assim de que "ainda não é momento de enviar dinheiro para fora" queria a opinião de voces no seguinte: Tenho (entre ações, RF e bitcoin) 600k reais investidos aqui no BR, e resolvi abrir uma conta na IB e enviei duas vezes via RemessaOnline um total de 25k dolares, investidos exatamente da mesma forma que o VR mencionou, baseado em postos do Frugal também. Estou muito precipitado então?

      AnonSei

      Excluir
    3. De forma nenhuma, está apenas tendo uma postura mais defensiva, normal.

      Excluir
  31. Alguem conhece algum blog que a pessoa já vive de renda passiva???

    valeu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, http://millennialmoney.com/
      www.millennial-revolution.com
      https://thinksaveretire.com/

      Excluir
    2. viagem lenta e blog do corey

      Excluir
  32. Muito bom VdR, me parece a melhor estratégia nesse período sombrio do nosso país.

    Parabéns pela evolução e pela decisão.

    E vende esses bitcoins rsrsrsrs

    Abraços
    MRF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado MRF, bitcoin ainda tem muito a subir!

      Excluir
  33. VR,

    É possível fazer a abertura da conta na corretora online?

    ResponderExcluir
  34. Usar o cartão de crédito ou débito do BB America lá fora tem alguma taxa?

    ResponderExcluir
  35. VR, não tenho o seu capital, caso o Brasil quebre e esteja prestes a se tornar um país socialista (para alegria e fuga de surfistas), você poderia atuar como o meu Schindler para que eu consiga sair daqui? Está pronto pra aceitar esse fardo ou sucumbirá ao pecado capital da avareza e se arrependerá por toda sua vida enquanto seus semelhantes morrem na mão do PT, PSOL?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem espaço pra mais um?

      Excluir
    2. Surfista Irônico Soviético18 de agosto de 2017 00:50

      Qual é o problema de ganhar juros rentista e sendo socialista?

      Excluir
    3. "Eu aprendi
      A vida é um jogo
      Cada um por si
      E deus contra todos
      Você vai morrer
      E não vai pro céu
      É bom aprender
      A vida é cruel"

      Excluir
  36. Olá VR!

    Interessante sua estratégia. Muito bem definida.

    Já sobre Smart Beta, vou pesquisar. Parece ser interessante o tema.

    ResponderExcluir
  37. Sempre achei que dinheiro traria tranquilidade, mas acho que nunca dormiremos tranquilos nessa vida. Mesmo já tendo uma renda passiva que supere os meus gastos não consigo ficar tranquilo justamente por posts e previsões como as suas. Minha IF é fortemente baseada em NTNBs e por isso o meu risco de ver tudo ruir é o Brasil virar uma Venezuela. As vezes isso me tira o sono e o mais engraçado é ver meus amigos que não acumulam nada e vivem puramente do salário não se preocupam nem um pouco com uma possível venezualização do país. Não sei se quem está certo é aquele que vive se preparando para o pior (mesmo q o pior nunca aconteça) ou aquele q vive uma vida leve e deixa para resolver os problemas conforme eles forem acontecendo. Mesmo já tendo uma renda passiva que cobre os meus gastos não consigo largar o emprego q odeio por medo do futuro, continuo acumulando e sinto que nunca será o suficiente pois agora penso que preciso acumular mais para assim como vc, criar reservas no exterior....e assim a vida vai passando, loucura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez seja a hora de espiritualizar-se !

      Excluir
    2. Infelizmente espiritualização não é a minha praia, respeito quem vai por esse caminho mas não é pra mim por não acreditar que religião, meditação ou macumba irá influenciar a taxa de juros e inflação do país.

      Excluir
    3. Você está em situação muito melhor do que a de seus amigos,pode ter certeza! Acredito que se o Brasil "venezualizar", não será de uma hora pra outra e você vai perceber isso a tempo de ter algum tipo de reação que salve parte da sua grana(vender as NTNBs com algum prejuízo e colocar o dinheiro em outro lugar,sei lá....). Eu estou em situação similar a sua e também tenho a sensação de que jamais serei capaz de largar o trabalho por medo de o dinheiro me faltar. Essa decisão é muito difícil! Minha meta para largar tudo já foi atingir 1 milhão,depois passou a ser 2 milhões, depois 2,5 milhões e agora eu penso que preciso de 3 milhões. Estou que nem a Dilma, quando eu atinjo a meta, eu dobro,mesmo tendo um padrão de vida com gasto mensal de 5 mil.

      Excluir
    4. Pelo seu relato me parece que temos muito em comum, eu particularmente parei de considerar o valor do patrimônio como minha atual referencia de IF e passei a adotar a minha renda passiva. Com a queda dos juros meu patrimônio disparou pois 80% está em NTNB 2050, porem a renda passiva continua a mesma. Dessa forma minha referencia para largar o emprego é quando atingir uma renda passiva entre 13 e 15 mil reais por mês. Tudo continuando como está atinjo isso em 01 ano, 08 meses, 06 dias, 10 horas e 1 minuto....rs Pra vc ver o quanto odeio meu emprego conto até os minutos....rs (vai ter gente achando q estou brincando). De uma forma ou de outra não pretendo parar de trabalhar mas sim passar a fazer algo que goste e q não necessariamente me traga renda. Enfim, parei de focar nos milhões e concentro as minhas forças na renda passiva. Com a queda dos juros FIIs estão ajudando bastante nesse sentido, alem de ações do ITAU q sempre pagam bons dividendos. Um abraço.

      Excluir
    5. O dilema é real, anon. Se tivéssemos na suíça ou canadá ou austrália isso nem seria discutido, infelizmente vivemos num país cuja maioria que obrigar os outros a subsidiar as suas vontades. O que quero dizer é que o risco soberano é um não-risco nos países desenvolvidos, diferente daqui.

      Excluir
    6. Isso é super normal, porém você precisa descobrir o motivo de continuar trabalhando mesmo com a IF. Desde o ano passado eu consegui chegar no ponto de equilíbrio (renda passiva maior que as despesas mensais) e mesmo assim topei um desafio para trabalhar num país muito escroto, longe da família e amigos por um simples objetivo: mudar de patamar de vida. Coloquei um prazo para "aceitar" esse sacrifício, mas com a certeza que terei uma renda passiva maior no futuro que pode me proporcionar realizar sonhos mais audaciosos, como luxar, ter um carro bacana... Se o seu caso é somente medo, dai vale diversificar suas alocações ou talvez entender se não é algo exagerado (sentimento super normal de quem vive em países instáveis).

      Excluir
  38. Vai influenciar na sua vida né. Se você vivesse por exemplo o "Nem de pão vive o homem" ou o "Buscai primeiro o reino de Deus e todas as demais coisas vos serão acrescentadas" ou ainda o "«Ninguém pode servir a dois senhores; pois ou há de aborrecer a um e amar ao outro, ou há de unir-se a um e desprezar ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas. Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos da vossa vida pelo que haveis de comer ou beber, nem do vosso corpo pelo que haveis de vestir; não é a vida mais que o alimento, e o corpo mais que o vestido? Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros, e vosso Pai celestial as alimenta; não valeis vós muito mais do que elas? Qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um cúbito à sua estatura? Por que andais ansiosos pelo que haveis de vestir? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam, contudo vos digo que nem Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles. Se Deus, pois, assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé? Assim não andeis ansiosos, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir? (Pois os gentios é que procuram todas estas coisas); porque vosso Pai celestial sabe que precisais de todas elas. Mas buscai primeiramente o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.»" sua vida seria diferente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prefiro viver minha vida com liberdade e sem prejudicar os demais do que me basear num livro criado há 2 séculos por um grupo de fazendeiros fumados do oriente médio banhado a sangue querendo dizer como devo viver minha vida.

      Excluir
  39. Olá VdR,

    Primeiro, meus parabéns.

    Espero que muitos sigam o exemplo, porque se acontecer alguma coisa aqui será do dia para a noite e aí já era.

    Bom, o Bolsonaro deu bons sinais sobre a economia. Ele está mais inclinado para o lado do liberalismo econômico do que protecionismo. Inclusive um dos filhos fez ou faz curso de pós no Instituto Mises.

    "Quem acompanha a literatura financeira internacional moderna (ninguém)"
    Poxa, eu acompanho. :)

    Abçs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Bolsonaro diz que deve existir liberdade na economia e por outro lado fala em barrar investimentos chineses, tem a tara dele com o nióbio, enfim o discurso econômico dele parece bastante com o dos militares, que começaram a semente do mal da dívida. Não sei até que ponto o Eduardo pode influenciar na política econômica dele.

      Excluir
  40. Bacana sua estratégia VR.
    Desculpe minha ignorância (vou contar com sua boa vontade em responder. Rs) mas (1)o que seria o CD que você pretende investir no BB Americas?
    (2)Tudo o que você investir dessa forma por meio do BB Americas, teria que pagar algum imposto ou taxa para utilizar o dinheiro aqui no Brasil? Seriam recursos legalmente investidos no exterior ou precisaria "repatriar" esses recursos posteriormente?
    (3)Não entendi a conta do yield de 3,55%. Poderia explicar melhor?
    (4)Sua opção por não investir agora em ações norte americanas seria por conta do índice ter se elevado bastante nos últimos 2 anos?
    (5)Na corretora IB, a taxa de custódia seria U$10? E as taxas de corretagem, quanto seria?

    Sou iniciante em investimentos e gostaria de começar a diversificar lá fora também.
    Obrigado pela aula e parabéns mais uma vez pela disciplina e foco!

    ResponderExcluir
  41. Olá VDR!
    Como vc faz com os bitcoins em relação a declaração de IR?
    Vc coloca na declaração? Se não como justificar na hora do resgate?

    ResponderExcluir
  42. Parabéns pelo post VR! Agradeço por compartilhar com os demais detalhes das suas estratégias ao longo de todos estes anos! Mais perto do que longe do meu primeiro milhão, gostaria que soubesse que você é uma das inspirações que sigo na caminhada em busca da tão sonhada IF. Obrigado!

    ResponderExcluir
  43. VdR vc que tem BTCs em paper wallet já resgatou seus BCC? Eles estão valendo 0.20 do BTC, então teoricamente vc tem 20% a mais do seu investimento "de graça" nesse exato momento se aproveitar.

    ResponderExcluir
  44. VR,
    excelente explicação.
    Eu pretendo começar a investir no exterior em uns 2 ou 3 anos.
    Desde já venho pensando no assunto, mas como meu volume de $ é relativamente pequeno e tenho q estudar muito (pra concurso), acho. será mais viável eu esperar um pouco mais para ter mais dinheiro no Brasil e aportar fora quando os custos forem proporcionalmente mais atraentes para mim.

    Sucesso
    Abc

    ResponderExcluir