quarta-feira, 3 de junho de 2009

Bolsa e Risco - Parte II

Vimos no tópico anterior que a concepção de risco na bolsa de valores é exagerada em virtude dos estudos se concentrarem em sua volatilidade anual.

Essa noção de volatilidade apenas em termos anuais é prejudicial pois a volatilidade do retorno esperado em aplicações na bolsa diminui conforme o prazo se alonga. Dêem uma olhada no gráfico que tirei do livro "Stocks for the long run" de Jeremy Siegel, em que mostra a relação risco-retorno para portfolios de bolsa/renda fixa para vários períodos nos EUA:




É muito importante que vocês entendam esse gráfico. Notem como a partir de 10 anos a angulação diminui sensivelmente. A partir de 20 anos o desvio-padrão é idêntico entre 100% renda e 100% bolsa, mas a diferença de retorno é significativa:

  • R$100.000,00 a 3,5% durante 20 anos: ~R$199.000,00
  • R$100.000,00 a 6% durante 20 anos: ~R$320.000,00
Diferença de mais de 50%, e isso puramente determinado pela alocação do ativo! Em apenas 20 anos! Parem pra pensar como é importante cada um de vocês determinarem de forma correta a alocação de ativos (asset allocation) para o seu caso específico. Talvez essa seja a decisão financeira mais importante de sua vida!

Uma analogia para vocês entenderem melhor a relação risco/tempo/retorno é imaginar a bolsa como um jogo com dados viciados. A cada rodada, você teria, por exemplo, 60% de chance de ganhar 11% ou 40% de perder 10%. Se você puder jogar apenas algumas vezes a chance de você sair perdendo é significativa, mas e se você pudesse jogar milhares de vezes? A chance matemática de você sair perdendo é muito pequena, afinal não é a toa que desde 1871 em TODOS os períodos de 30 anos a bolsa rendeu mais do que renda fixa nos Estados Unidos. Mas lembre-se, você tem que continuar jogando...

Poderia se argumentar que o retorno positivo da bolsa a longo prazo nos EUA foi uma exceção, afinal ela foi (e ainda é) a maior potência mundial. No entanto, um estudo foi feito para analisar o retorno real da bolsa de valores de 16 países no período entre 1900 e 2006 e a comparação com aplicações em renda fixa:


Vejam que TODOS os países apresentam o chamado "equity premium", reforçando a tese de que a longo prazo a bolsa tende a ser o melhor investimento. Portanto, retornos a longo prazo acima da renda fixa não é uma exclusividade dos EUA.

Então quer dizer que tudo são flores? É só aplicar na bovespa, dormir por 30 anos, acordar milionário e ir direto na concessionária comprar seu 370z? Além disso, e aqui no Brasil, como que o CDI está na corrida com o Ibov? Vamos falar disso na parte final...

14 comentários:

  1. Ola, gostei muito do seu blog por dois motivos principais. O primeiro pelo assunto que o site aborda e o segundo as atualizacoes sempre frequentes. Parabens, ele se tornou um dos meus preferidos. Como sugestao ou pedido :) voce poderia por uma secao de livros ( pode ser em ingles mesmo ) sobre bolsa e ( meu perfil ) buy n hold.

    Joao Paulo

    ResponderExcluir
  2. Seus estudos estatisticos são interessantes, mas vc deve considerar que existem muitos vieses a considerar:

    - Basear-se no mercado americano, quando vc está investindo no brasileiro
    - Achar que o o que ocorreu no passado é uma base segura para o que vai ocorrer no futuro.
    - Vc está analisando períodos de 30 anos, mas seus investimento terão um tempo de 17 anos.

    ResponderExcluir
  3. Nao sei se foi nesse ou outro post, mas considerando naquele gráfico o retorno médio anual real de 6,xx% ao ano para a bolsa, acho que o tesouro direto cumpre essa função com um risco bastante baixo, em relação à bolsa.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Acho que já falei isso,mas eu não gosto da idéia de medir risco com volatilidade,muito menos de longo prazo.Mas é sempre uma ferramenta válida para dar uma opinião a mais.Eu prefiro utilizar o método fundamentalista de calculo do valor intrínseco.No entanto sou forçado a admitir que esse método não tem ferramentas para fazer esse tipo de análise.

    Apesar de você ter recebidos muitas críticas quanto ao usar EUA e não o Brasil por questões de força maior.Você está de parabéns,pois ninguém até agora se propôs a dar uma idéia melhor.É quase impossível usar os dados do Brasil.

    Só como sugestão use tag nos seus posts para ficar mais fácil para o leitor ler os posts de determinadas categorias

    ResponderExcluir
  6. Anônimo 1: Obrigado pelos elogios. Vou colocar uma seção depois com meus livros preferidos.

    Anônimo 2: Com certeza esse estudo possui alguns "poréns", que serão abordados na parte final. Apenas adianto que esse seu cálculo de 17 anos está incorreto... quero ver se vc consegue ver o erro ;)

    rodpba: Na verdade o retorno real é mais próximo a 7%a.a. Caso o período contado seja a partir de 1900, o retorno chega a 8%a.a. Como moramos num país em desenvolvimento, a tendência é que esse valor seja ainda mais alto. É só ver o retorno anual dos últimos 15 anos do ibov... tá em 18.2%a.a(excluída inflação). Isso não é garantia de nada, óbvio, mas lembre-se que o índice deles não computa dividendos e o nosso sim. No entanto, o ntn-b do tesouro direto é uma ótima alternativa para quem não pode ou não suporta perder o principal, com uma rendimento ainda justo... só veja que hj o título tá rendendo 6,38% bruto... isso líquido dá 5,17%, fora o IR do IPCA...

    Capitalista: Volatilidade pura também não é meu método preferido, mas já a semi-variância me parece um conceito bom. Que conceito de risco você utiliza? O problema é que a longo prazo é tudo tão nebuloso que fica complicado achar outra coisa para se "apegar". No caso de investimento em índice o melhor que consigo pensar seria evitar investir em caso de P/Ls muito altos, mas até o s&p500 tava com p/l de 30 em 2002 e levou 6 anos pro povo cair na real, enfim ainda não tenho uma solução pra isso... é quase impossível advinhar o mercado.

    Os dados do Brasil são um lixo antes de 1994 por causa da hiperinflação. E meu receio é que desde 1994 tivemos um mercado bull forte, até hoje o povo não sabe o que é 10 anos com retorno de 0%, então a meu ver estaria sendo tendencioso (pra cima) usando dados do ibov para o longo prazo.

    Gostei da idéia dos tags, a questão é ter saco pra ficar fazendo tag de todos os posts até agora heheh...

    ResponderExcluir
  7. Excelente! Muito bom mesmo!

    Parabéns pelo assunto de suma importância e tão pouco comentado.

    ResponderExcluir
  8. HC, obrigado pelo comentário. Considero esse tópico um dos mais importantes que eu já escrevi!

    ResponderExcluir
  9. VR, parabéns pelo tópico muito bem escrito.
    Ainda estou iniciando em investimentos e pretendo investir 80% RF e 20% RV e ir aumentando conforme ir ganhando mais experiência. Há algum livro que recomenda sobre o mercado de ações?

    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só os livros de fora já comentados aqui no blog, pra ser sincero estou meio por fora das publicações daqui dos últimos anos.

      Abs.,

      VR.

      Excluir
  10. Tbm estou aguardando a parte 3.
    Me desculpe se fiquei perdido no tempo, porem VC alterou radicalmente seu conceito de bolsa e comprou tudo de TD?? Se, sim, pq ??
    Obg.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://viverderenda.blogspot.com.br/2015/11/a-independencia-financeira.html

      Excluir